metropoles.com

No sex, no gain: transar pode ser um exercício físico?

Personal responde se o sexo pode valer como uma ida à academia e fala sobre seu potencial para queimar calorias e trabalhar músculos

atualizado

Compartilhar notícia

Foto: Getty Images
Couple In Love Indoors
1 de 1 Couple In Love Indoors - Foto: Foto: Getty Images

Que atire a primeira pedra quem nunca fez um sexo que tirou o fôlego, fez suar e até mesmo deixou algumas dores musculares no dia seguinte, tal qual quando se pratica exercícios físicos.

Para a parcela sedentária das pessoas sexualmente ativas, seria um alívio descobrir que o ato sexual conta como uma ida à academia. Será que isso procede?

De acordo com o personal trainer Sidney Muniz, o sexo não pode ser considerado como exercício físico, mas uma atividade física. “Atividade física é todo o tipo de movimento produzido pelos músculos que nos causa um gasto energético acima do que teríamos em repouso: andar do quarto para a sala, limpar a casa, lavar a louça, passear com o cachorro, fazer sexo, descer a escada do prédio, brincar com os filhos”, explica.

Em média, os homens gastam 100 calorias e as mulheres 70 durante uma transa de 25 minutos, incluindo as preliminares, segundo um estudo da Universidade de Montreal, no Canadá. “Mas isso varia de casal para casal. A idade influencia, se os indivíduos são saudáveis e não obesos. No geral, dá para perder umas boas calorias fazendo sexo”, argumenta Muniz.

Tonificar transando

Como se queimar calorias não fosse boa notícia o suficiente, o profissional aponta ainda que, durante o rala e rola, há trabalho muscular, por causa da isometria em que as pessoas ficam em determinadas posições. “Isometria muscular é quando fazemos uma posição estática ao flexionar o músculo contra um objeto imóvel. Ao praticá-la, você fortalece o músculo em seu condicionamento máximo por meio do aumento da contração”. Fica a dica para consultar o Kama Sutra!

Por outro lado, o sexo deixa um pouco a desejar como um possível trabalho do sistema cardiovascular, já que não eleva a frequência cardíaca por tempo suficiente para isso. “Por mais que a maioria das pessoas ache que a atividade sexual seja um estímulo intenso, ela só vai aumentar a frequência no calor do momento”, diz Sidney.

Mesmo com todos os benefícios – tanto físicos quanto para a saúde de forma geral –, o personal alerta que ser sexualmente ativo não isenta a pessoa de praticar exercícios regularmente. “O sexo é uma necessidade fisiológica, para o bem-estar mental e físico, mas funciona apenas como um bom complemento para uma vida ativa e saudável”, reforça.

Em vez de fugir da academia, que tal se dedicar nos treinos para melhorar a performance na cama?

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?

Notificações