metropoles.com

Cuckold e Hotwife: o casamento perfeito no fetiche de ser corno

Camila Voluptas esclarece as nomenclaturas que envolvem o relacionamento de pessoas que tem tesão em ser corno(a)

atualizado

Compartilhar notícia

iStock
Cuckold: homens que assistem esposa fazer sexo com amante
1 de 1 Cuckold: homens que assistem esposa fazer sexo com amante - Foto: iStock

Ciúme, insegurança e medo de ser traído. As mãos ficam suando só de imaginar a parceria ou parceiro com um outro alguém. Esses sentimentos assombram muitos homens e mulheres que estão em um relacionamento, mas não é assim com todo mundo. Existe uma parcela da população que se realiza com a ideia de se ver o companheiro ou companheira tendo relações com outra pessoa. E ainda se excita com a possibilidade.

Cuckold é o termo designado para homens que tem o fetiche de ser corno. Só no ano passado, o termo foi buscado 110 mil vezes, de acordo com uma  pesquisa realizada pelo site Vivalocal, que mapeou os fetiches mais procurados pelos brasileiros na ferramenta de buscas. O fetiche ocupa o segundo lugar no ranking das buscas e só perde para BDSM.

0

Outro termo ainda pouco explorado é Hotwife, que nada mais é que a mulher que garante que os chifres aconteçam. E não para por aí. Nessa parceria também há a Cuckquean e o Hothusband.

Curioso para entender esses termos? A Pouca Vergonha ouviu um casal que vive esse relacionamento há pelo menos seis anos. E quem esclarece as nomenclaturas é Camila Voluptas, escritora e fundadora da maior sociedade secreta de swing do Brasil, e também adepta ao mundo liberal.

O fetiche do corno

De acordo com Camila, que é também apresentadora do Sexlog TV, apesar de pouco falado, o Cuckold é mais comum do que se imagina: “Ele tem prazer em ver sua esposa interagindo sexualmente com outros homens, estando ou não na presença dele. Sua esposa é como a melhor estrela pornô. A satisfação dele é vê-la sentindo o máximo de prazer”, esclarece.  

E há também uma nomenclatura para a mulher que sente o mesmo prazer de ver o marido interagindo com outras mulheres: “Ela é chamada de Cuckquean”, ensina.

 Casamento perfeito: Cuckold e Hotwife

Todo Cuckold tem uma esposa para garantir a dinâmica do relacionamento. Um exemplo disso é o Casal Lover* que há seis anos vive nessa prática. Tudo começou com o intuito de sair da rotina do casamento de 10 anos: “A ideia era dar uma apimentada na relação, e a partir daí desejos e fantasias começaram a surgir”, conta a Hotwife.

O  primeiro menáge do casal foi feminino: “Nunca me vi em uma situação de menáge masculino, mas era algo que estava adormecido dentro de mim só aguardando para ser despertado”, relata ela.

Após o marido incentivar as conversas com outros homens, despertou nela o desejo de ser uma Hotwife. “Hoje eu adoro que ele me assista tendo prazer com outros homens e claro ver a sensação de tesão e prazer no rosto dele”, confessa. 

Regras do jogo

Para Camila, as regras da dinâmica devem ser estabelecidas pelo casal: “A maior regra no meio liberal é o respeito e o consenso. Cada casal define também as próprias regras, e ao contrário do que muitos pensam, somos muito fiéis a elas e a nossa relação”, esclarece.

Adepta do meio liberal, a escritora que convive com muitas hotwifes afirma que cada uma tem um próprio estilo. “O casal acaba decidindo qual é a vibe deles. Há aquelas que só fazem ménage masculino junto com o marido, aquelas que saem com os homens que o próprio marido escolhe, aquelas que saem com homens da própria escolha e enviam informações ou participam depois o marido”, relata.

Símbolos da Hotwife

A Dama de Espadas é a representação da Hotwife no Brasil. Através do naipe de espadas do baralho com a letra Q dentro, a mulher é reconhecida: “Em geral elas usam em tatuagem, colares e tornozeleiras”, explica.

Inserindo a dinâmica na relação

Falar sobre isso no casamento pode ser um desafio, de acordo com Camila. Isso porque o homem Cuckold tem bastante dificuldade de dividir o fetiche com a esposa já que a maioria mulheres leva um choque quando o homem revela que sente prazer de imaginar ela com outros parceiros.

“De início elas pensam que eles não a amam ou que estão fazendo isso para que eles possam fazer o mesmo. O que elas desconhecem é que um cuckold vê sua esposa como uma rainha, beirando inclusive o mundo da submissão no BDSM. Ela é o foco de prazer dele”, explica.

A dica para quem quer inserir a dinâmica, é definir se o casal está seguro, confia um no outro e se há diálogo e  harmonia: “Outro passo importante é definir a personalidade liberal do casal. Perceber se eles pendem mais para trocas de casais e ménages, ou se querem fazer parte do universo cuck”.

*Nome fictício a pedido dos entrevistados.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?

Notificações