Bastidores da televisão, notícias da sua novela preferida e entrevistas com os principais atores

Saiba como será a estreia das mulheres no Super Dança dos Famosos

Claudia Ohana, Maria Joana e Mariana Santos se enfrentam ao som de dois ritmos, o rock e o forró e só uma vai direto para a próxima fase

atualizado 13/05/2021 14:45

Claudia Ohana com o bailarino Heron Leal na Dança dos Famosos

O time está completo e é hora de encarar as primeiras apresentações do Super Dança dos Famosos. A partir deste domingo (16/5), o fascínio da dança está de volta, com uma final a cada domingo. Na estreia da competição, Claudia Ohana, Maria Joana e Mariana Santos se enfrentam ao som de dois ritmos, o rock e o forró, e apenas uma delas vai direto para a próxima fase do jogo, enquanto as outras encaram a repescagem.

Todos os 18 participantes desta temporada já estiveram no palco do Domingão, mas agora a disputa fica ainda mais acirrada. Às vésperas da estreia do quadro, os participantes contam as expectativas para esta edição extraordinária, e muito mais.

Elas abrem a pista de dança:

Mariana Santos, finalista da edição de 2015, foi uma das primeiras a encarar a rotina de treinos para a estreia: “A primeira semana de ensaios está sendo surpreendente. Tenho um parceiro incrível de dança e sinto meu corpo mais preparado do que da outra vez”. Sobre a expectativa para a primeira dança, ela confessa: “Eu acho que chego mais confiante. Aliás, esse quadro me ajudou muito na minha autoconfiança porque coloca a gente em prontidão”.

Claudia Ohana também avalia o que significa voltar a participar do Dança, agora com uma nova dinâmica: “A diferença é que eu sei que todos são muito feras e a gente já começa com dois desafios, porque são duas danças. Acho que serei mais exigente comigo mesma e acredito que o público e os jurados também serão mais exigentes”.  Finalista em 2012, ela assume não pensar na final: “Estou pensando em ‘uma dança de cada vez’ e vamos ver o que acontece. Quero me divertir e aprender mais sobre a dança”.

Maria Joana, que levou a melhor na edição de 2017, também compartilha o que espera desta primeira apresentação: “Eu estou indo de coração, corpo e alma. Eu sei que pode parecer mais fácil por ser a segunda vez, mas não é. É bem desafiador, mas, ao mesmo tempo, é um território um pouco mais conhecido. Com certeza isso ajuda muito”. Sobre o convite para o Super Dança, ela conta: “O que vivi em 2017 foi mágico, poder viver mais uma vez essa emoção está sendo incrível”.

Últimas notícias