Marcas, ideias e pessoas que impactam no mundo da comunicação

Agência Moringa dá dicas de como escrever com gênero neutro

Empresa brasiliense quer mais diversidade e representatividade na publicidade. Guia tem 12 boas práticas para orientar quem produz conteúdo

atualizado 24/06/2021 16:55

Moringa manualUnsplash

A agência Moringa publicou manual elencando boas práticas para escrever com gênero neutro. Ainda hoje, a falta de conhecimento de marcas e empresas gera pouca representatividade na produção de conteúdo na comunicação e também em campanhas do segmento.

Uma pesquisa do Instituto Qualibest aponta que apenas 24% das pessoas ouvidas disseram conhecer alguma marca que tenha falado sobre diversidade. A maioria delas (57%) se sente pouco ou nada representada pelas peças publicitárias criadas, 34% dizem que não se sentem representadas e 23% dizem que são pouco representadas.

“Promover uma comunicação diversa e representativa envolve vários aspectos, além da linguagem. Em última instância, esse desafio nos leva à própria estrutura da nossa linguagem, pois os binarismos decodificam o modo como vemos o mundo: certo e errado, noite e dia, dentro e fora, masculino e feminino. É assim que nosso raciocínio se processa, embora essas oposições não deem conta de toda a diversidade da vida”, diz texto da Moringa.

No entanto, segundo a agência, a prática mais comum atualmente de incluir termos neutros, com o uso de “e”, “x” ou “@” no lugar de “o” e “a” para não demarcar o gênero, pode criar problemas para deficientes visuais que usam programas de leitura de texto, pessoas com dislexia, em processo de alfabetização ou alfabetização elementar e, ainda, pessoas que desconheçam esse código.

“As dicas são pequenas técnicas que permitem amenizar marcações de gênero desnecessárias”, afirma a agência em material on-line. Segundo a Moringa, não há fórmulas prontas e por isso, criatividade, bom domínio vocabular e, principalmente, vontade de usar uma linguagem mais inclusiva são essenciais no processo.

Acesse as dicas completas aqui.

Mais lidas
Últimas notícias