Os bastidores das notícias, e os principais personagens, que movimentam a política do Distrito Federal

Joice Hasselmann faz exame toxicológico na noite desta segunda-feira

Fontes da PCDF relataram que, inicialmente, a deputada se recusou a fazer o exame, mas voltou atrás. Ela, no entanto, contesta informação

atualizado 27/07/2021 4:04

Deputada Joice Hasselmann na 2ª Delegacia de Polícia para prestar depoimento sobre o suposto atentado4Hugo Barreto/Metrópoles

A deputada federal Joice Hasselmann (sem partido) submeteu-se exame toxicológico no Instituto Médico Legal (IML) do Distrito Federal na noite desta segunda-feira (26/7). Intimada, a congressista depôs na 2ª Delegacia de Polícia, localizada no fim da Asa Norte. Segundo fontes da Polícia Civil do DF (PCDF) que trabalham no caso, a parlamentar teria, inicialmente, se recusado a fazer o exame, mas mudou de ideia após conversar com o médico dela. Joice afirmou que fez o toxicológico por volta das 18h.

Assim como aconteceu no exame de corpo de delito – também já realizado pela parlamentar –, os investigadores orientaram a análise a partir da amostra sanguínea, para detectar vários tipos de substâncias consumidas até 180 dias antes da coleta.

Ao Metrópoles a deputada contestou a informação das fontes da PCDF de que, num primeiro momento, não quis fazer o exame toxicológico. “Eu não tenho que querer ou não fazer o exame. Não sou eu quem peço. Aliás, a Depol [Departamento de Polícia Legislativa] já havia pedido o toxicológico antes mesmo da civil [Polícia Civil]. Foi o penúltimo exame, perto das 18h. Fiz uma bateria, e quem definiu a ordem foram os legistas”, detalhou Joice à reportagem.

A parlamentar se recupera de cinco fraturas no rosto e uma na costela, além de alguns cortes pelo corpo. A congressista alega que assistia a uma série em sua cama, no apartamento funcional que usa em Brasília, na noite do último sábado (17/7), quando “apagou” e só acordou 7 horas depois, sobre uma poça de sangue, sem se lembrar do que tinha acontecido.

A Polícia Civil (PCDF) assumiu a investigação, que até então estava sendo conduzida exclusivamente pela Polícia Legislativa do Congresso Nacional. A deputada federal chegou a suspeitar de um possível “atentado”, já que não se lembrava do ocorrido e acordou dentro da própria suíte.

Agressões

Joice Hasselmann revelou ao Metrópoles, na noite de sexta-feira (23/7), ter dois nomes que poderia estar por trás das agressões, um deles seria de um parlamentar.

“Agora, minhas dúvidas são: era para me dar um susto? Para querer me machucar? Para fazer algo pior? Isso que a gente precisa descobrir. Eu tenho duas suspeitas”, disse, sem revelar os nomes.

Recentemente, questionada pelo colunista Leo Dias, Joice afirmou não ter o perfil de pessoa “festeira”.

“Rapaz, eu eu sou aquela pessoa assim ó: convidou para festa? Vou, cumprimento todo mundo, e eu sou igual Cinderela: meia-noite viro abóbora. Então saio de fininho, sem dar tchau para ninguém. Todo mundo fica bravo comigo. Então eu vou lá, faço um socialzinha e tal, comecei uma reunião nove, dez horas e, daqui a pouco, meia-noite sumiu a Joice. Cadê a Joice? Já estou em casa, de pijama. Então assim, eu gosto de pessoas, de reuniões, mas eu brinco que nasci com 300 anos. Gosto muito mais de um jantarzinho em casa, uma coisa mais petit comité”, disse.

Últimas notícias