Os bastidores das notícias, e os principais personagens, que movimentam a política do Distrito Federal

Diretor rebate GDF sobre banheiro unissex em escola: “Fake news”

Claudinei dos Santos alegou que espaço é para higiene de crianças especiais dependentes e ganhou apoio da Comissão de Direitos Humanos

atualizado 13/01/2022 17:54

Aluno de escola pública do DFRafaela Felicciano/Metrópoles

Acusado de ter criado um banheiro unissex para crianças, o diretor da Escola Classe 01 do Paranoá, Claudinei Batista dos Santos, afirmou nesta quinta-feira (13/1) que foi, na verdade, envolvido em uma “fake news”. O gestor escreveu uma carta pública após ter tomado conhecimento da exoneração do cargo pela Secretaria de Educação do Distrito Federal.

Segundo o docente, há no ambiente escolar sanitários separados por gênero para alunos maiores, mas existe também um local para crianças da educação especial, as quais necessitam de monitoria para o uso dos toaletes.

“O que acontece é que a escola, além de atender essa faixa etária (4 – 5 anos), atende crianças da educação especial, tratando-se de uma escola inclusiva. Em razão das idades e dos perfis todas as crianças sempre vão acompanhadas de seus professores ou monitores ao banheiro. Tratando-se de um banheiro adaptado a crianças muito pequenas, que jamais vão lá sozinhas”, afirmou.

“Este banheiro serve apenas para que os e as docentes acompanhem os menores. Não se trata de um banheiro unissex para os alunos, conforme levam a crer as fake news”, reforça.

O diretor alega estar sendo perseguido desde que o caso ganhou ainda maior projeção com a intervenção do deputado federal Julio Cesar Ribeiro (Republicanos-DF), integrante da bancada evangélica da Câmara dos Deputados. Por isso, o gestor ganhou também o apoio do deputado distrital Fábio Felix (PSol-DF), presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Legislativa.

“A exoneração do diretor da escola com base nas fake news é uma atitude desproporcional e injusta. O diretor precisou emitir até uma nota pública para se defender de uma polêmica vazia e baseada em intolerância e fundamentalismo religioso. Inacreditável!”, escreveu o parlamentar nas redes sociais.

A Secretaria de Educação voltou a ser procurada pelo Metrópoles, mas afirmou que não vai se pronunciar sobre o caso.

GDF exonera responsável por criar banheiro unissex em escola pública

Leia a publicação do distrital:

Leia a carta do diretor na íntegra:

“Esclarecimentos acerca da fake news sobre banheiro da EC 01 do Paranoá

Venho a público me manifestar sobre as fake news que estão circulando a respeito dos banheiros da Escola Classe 01 do Paranoá, do qual exerço a gestão até o momento.

A escola sempre teve banheiros separados por gênero. As crianças, de 04 e 05 anos – Educação Infantil, usam os vestiários de forma separada, com total segurança e preservação de suas privacidades.

O que acontece é que a escola, além de atender essa faixa etária (4 – 5 anos), atende crianças da Educação Especial, tratando-se de uma escola inclusiva, em razão das idades e dos perfis todas as crianças sempre vão acompanhadas de seus professores ou monitores ao banheiro. Tratando-se de um banheiro adaptado a crianças muito pequenas, que JAMAIS vão lá sozinhas.

Este banheiro serve apenas para que os e as docentes acompanhem os menores, não se trata de um banheiro unissex para os alunos, conforme levam a crer as fake news.

Reitero: crianças maiores, demais professores e servidores usam os vestiários devidamente separados por gênero.
Outrossim, destaco que existe ainda mais 01 banheiro a ser disponibilizado para nossas crianças após conclusão de devida reforma e corretas adaptações funcionais para nossas crianças especiais.

Em virtude das mentiras espalhadas para atender a pedidos descabidos e interessados que desejam usar politicamente desta mentira para se promover – foi encaminhado para publicação a minha exoneração. Colocando em cheque minha reputação profissional, bem como todo o excelente trabalho que vem sendo realizado por toda equipe escolar.

Declaro que estou muito tranquilo, porque sei que sempre conduzi a direção da escola da maneira mais séria, ética e respeitosa. Lamento profundamente que autoridades recorram a fake news para autopromoção e reafirmo meu compromisso com a proteção das crianças e dos colaboradores sob minha responsabilidade, seja como professor ou como gestor.

Claudinei Batista dos Santos
Diretor da Escola Classe 01 – Paranoá/DF”

Mais lidas
Últimas notícias