com Rebeca Ligabue, Hebert Madeira e Sabrina Pessoa

Gucci apresenta coleção Aria e faz collab histórica com a Balenciaga

O centenário da grife foi a oportunidade perfeita para "hackear" alguns elementos da marca colega, que também pertence ao grupo Kering

atualizado 16/04/2021 9:54

Look da coleção Aria, da Gucci, com peça de collab com a BalenciagaGucci/YouTube/Reprodução

Sempre excêntrico, Alessandro Michele não deixou a desejar na coleção mais recente da Gucci, intitulada Aria. Nas palavras do diretor criativo, as novas peças promovem um respiro ao momento atual e são como “um mergulho profundo e extático em tudo o que temos saudades hoje”. Este é o primeiro compilado da Gucci em 2021, ano em que ela celebra um século de existência. De quebra, a grife fez suas próprias versões de designs da Balenciaga, uma collab inédita entre duas marcas de luxo desse porte, embora Michele não a veja exatamente assim.

Vem saber mais detalhes!

Giphy/Gucci/Divulgação

Collab com a Balenciaga

O filme que apresenta a coleção Aria, dirigido por Floria Sigismondi e Alessandro Michele, confirmou os rumores sobre uma possível colaboração entre as duas gigantes da moda. Ambas são as principais grifes no portfólio do grupo francês Kering. Possivelmente, a parceria define uma nova era na indústria fashion, já que as grandes etiquetas de luxo nunca interagem diretamente.

O mais próximo disso, até então, havia sido a collab entre Dries Van Noten e Christian Lacroix, de 2019, e a parceria de Raf Simons como codiretor criativo da Prada ao lado de Miuccia Prada. Normalmente, o que se vê são parcerias entre marcas de luxo e etiquetas esportivas ou de streetwear, a exemplo da própria colaboração entre a Gucci e a The North Face, ou da Balenciaga com a Crocs.

Para Alessandro Michele, essa novidade está mais para um “hack” de códigos inconformistas do diretor criativo da Balenciaga, Demna Gvasalia, do que uma collab oficial. Como resultado, ele criou peças que misturam elementos das duas labels. Exemplos marcantes de itens de vestuário são os blazers estruturados em forma de ampulheta, ombreiras exageradas e o mix de calça com botas, sem falar nos casacos com um ar urbano.

Nos acessórios, destaque para versões das bolsas Hourglass, da Balenciaga, com referências das duas marcas. Em um dos colares, o monograma GG da Gucci se transforma na letra G de Balenciaga. Esse encontro híbrido, certamente, ficará no imaginário de quem admira as duas marcas.

Look da coleção Aria, da Gucci
Blazers estruturados, com silhueta de ampulheta, estão entre os elementos da Balenciaga de Demna Gvasalia que Alessandro Michele “hackeou

 

Look da coleção Aria, da Gucci
A estampa Flora, da Gucci, aparece com o logotipo da Balenciaga entre as flores

 

Look da coleção Aria, da Gucci
Casaco estruturado e óculos de sol futuristas, característicos nas coleções de Gvasalia

 

Look da coleção Aria, da Gucci
A Gucci se apropriou da mistura entre calça e bota da colega, que também pertence ao grupo Kering

 

Look da coleção Aria, da Gucci
Um casaco com pegada urbana que mistura referências das duas grifes

 

Look da coleção Aria, da Gucci
Vestido com silhueta semelhante a alguns modelos da primavera/verão 2020 da Balenciaga

 

Look da coleção Aria, da Gucci
Ombros dramáticos? Temos também!

 

Coleção Aria

Segundo a própria grife, a coleção Aria explora a visão pessoal de Alessandro Michele sobre a mitologia em torno da Gucci. Uma inspiração foi a forte sensualidade do período em que Tom Ford dirigiu a marca. Exemplo disso é a releitura do smoking de veludo eternizado por Gwyneth Paltrow no MTV Movie Awards de 1996. O toque sexy aparece em tops e corselets que deixam bastante pele à mostra, além de acessórios fetichistas, como arreios de couro.

Outro mood que permeia o compilado é a herança equestre da label. Chapéus imitam capacetes de hipismo, além de botas e conjuntos de alfaiataria que remetem diretamente a essa prática esportiva. O brilho também tem seu lugar de destaque, seja nos itens com cristais incrustados seja nos tecidos metálicos. Isso pode ser uma pista do “resgate ao glamour da Old Hollywood” que Michele propôs.

As plumas e penas também acrescentam um charme. Em alguns momentos, decoram mangas e punhos. Em outros, roubam a cena do look inteiro, como nos casacos e na calça com degradê em tons de verde. A padronagem GG Supreme aparece revigorada em diferentes tamanhos e cores. Outra estampa famosa da marca, Flora, surge misturada com o logotipo da Balenciaga em um conjunto de alfaiataria.

Para celebrar ainda mais as raízes da grife, o fashion film faz referências ao hotel londrino Savoy, onde o fundador da marca, Guccio Gucci (1881-1953), trabalhou como liftboy quando era jovem. Nesse caso, no entanto, a label transformou o local em uma boate imaginária, a Savoy Club. A trilha sonora do vídeo brinca com o impacto da grife no “vocabulário da cultura pop”, trazendo uma seleção de músicas que incluem a palavra “Gucci”.

Look da coleção Aria, da Gucci
Um aceno ao smoking de veludo da era Tom Ford usado por Gwyneth Paltrow no MTV Movie Awards de 1996

 

Look da coleção Aria, da Gucci
Os arreios de couro dão um toque equestre e, ao mesmo tempo, futurista

 

Look da coleção Aria, da Gucci
Michele apostou na pegada sexy dos top croppeds

 

Look da coleção Aria, da Gucci
Brilho! Por que não?

 

Look da coleção Aria, da Gucci
A calça felpuda forma um degradê de tons de verde e é cheia de movimento

 

Look da coleção Aria, da Gucci
Botas de hipismo e chapéu com referência à boate imaginária Savoy Club

 

Look da coleção Aria, da Gucci
Os elementos chamativos se equilibram, como o casaco felpudo, a bota e o amarelo marcante

 

Look da coleção Aria, da Gucci
Aplicação diferenciada de penas

 

Look da coleção Aria, da Gucci
Aqui, o monograma GG Supreme ganhou uma versão máxi e psicodélica

 

Ritmo próprio

Em 2020, a Gucci abandonou o calendário sazonal da moda para seguir seu próprio ritmo, fora das fashion weeks. Por isso, as peças da nova coleção não correspondem oficialmente a uma temporada, mas as grandes publicações da área se referem a ela como outono/inverno 2021. Nesta semana, a Celine também apresentou sua nova coleção em formato digital. Alguns dias atrás, a Bottega Veneta fez um desfile em Berlim, com público presencial, e gerou polêmica.

 

Colaborou Hebert Madeira

Últimas notícias