Notícias, furos e bastidores de política e economia. Com Gustavo Zucchi

Queiroga avalia Coronavac em crianças, mas ainda não procurou Butantan

Presidente do Instituto Butantan disse à coluna ainda não ter sido procurado pelo Ministério da Saúde para comprar novas doses da Coronavac

atualizado 10/01/2022 14:50

Dimas Covas_CPI da CovidRafaela Felicciano/Metrópoles

O Ministério da Saúde avalia usar a Coronavac na vacinação de crianças contra a Covid-19, caso o uso do imunizante seja aprovado pela Anvisa, mas ainda não conversou sobre o assunto com o Instituto Butantan, responsável por produzir a vacina.

À coluna, o presidente do instituto, Dimas Covas, contou ter sabido pela imprensa que a pasta avalia o uso da Coronavac em crianças. Na avaliação dele, embora o ministério diga ter doses em estoque, essa quantidade não deve ser grande e, por isso, precisará encomendar novas vacinas.

Diferentemente da Pfizer, que terá doses específicas para crianças de 5 a 11 anos, o Butantan pediu à Anvisa para aplicar o mesmo imunizante usado em adultos em crianças e adolescentes de 3 a 17 anos. O pedido foi feito em 15 de dezembro, mas ainda não foi analisado pela agência.

À coluna, Dimas Covas disse não saber ao certo quando a Anvisa concluirá a análise da solicitação. “Talvez essa semana”, previu. Em tese, a agência tem até o final desta semana para analisar a solicitação. Esse prazo, no tanto, pode ser congelado, caso o órgão exija novos documentos do Instituto Butantan.

Nesta segunda-feira (10/1), o Ministério da Saúde apresentou o cronograma de recebimento de doses infantis contra a Covid-19. O planejamento, porém, inclui apenas a entrega das 20 milhões de doses encomendadas da Pfizer, única que tem o aval da Anvisa para uso em crianças até agora.

Mais lidas
Últimas notícias