Notícias, furos e bastidores de política e economia. Com Gustavo Zucchi

Moto, paraquedas e facada: bastidores da conversa de Bolsonaro e Putin

Presidente Jair Bolsonaro teve momentos de conversa informal durante encontro com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, no Kremlin

atualizado 17/02/2022 19:33

Bolsonaro visita o presidente russo, Vladimir Putin, no Kremlin em Moscou. Eles andam um atrás do outro pelo corredor da sede do governo - Metrópoles Alan Santos/PR

Enviado especial a Moscou — O encontro entre os presidentes Jair Bolsonaro e Vladimir Putin no Kremlin, sede do governo russo, nessa quarta-feira (16/2), não teve apenas assuntos de trabalho.

Como descreveu o próprio chefe do Palácio do Planalto, houve momentos de “informalidade” e de conversa entre os dois presidentes sobre assuntos pessoais.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
0

A ministros e auxiliares, Bolsonaro relatou que ele e Putin conversaram, por exemplo, sobre o gosto em comum por motos e paraquedas. O presidente brasileiro também contou ter interesse por mergulho.

Segundo auxiliares de Bolsonaro, Putin perguntou sobre a facada sofrida pelo mandatário do Brasil na campanha eleitoral de 2018. O chefe do Planalto disse ao colega que o mandante do crime ainda não havia sido descoberto.

Bolsonaro e Putin tiveram conversas em vários espaços diferentes do Kremlin. Primeiro numa sala de recepção, onde ficaram sentados lado a lado, separados por uma mesa pequena.

Foi nessa primeira sala que os dois presidentes fizeram uma rápida declaração inicial à imprensa. De lá, foram para outro cômodo, onde tiveram uma reunião de trabalho em uma mesa maior.

Putin também ofereceu um almoço a Bolsonaro. O cardápio não foi revelado. Ainda dentro do Kremlin, o presidente russo levou Bolsonaro para conhecer a sala de onde despacha diariamente.

Após a conversa, os dois presidentes seguiram juntos para o salão Ekaterina do Kremlin. Foi lá onde se posicionaram em púlpitos lado a lado e fizeram uma declaração conjunta à imprensa.

Bolsonaro e Putin conversaram a sós praticamente todo o tempo. Estavam acompanhados apenas de intérpretes e, no caso do brasileiro, do chefe do cerimonial do Planalto, o diplomata Marcos Sperandio.

O presidente brasileiro chegou ao Kremlin por volta das 14h, horário local, 9h da manhã no Brasil. Não foi recebido na porta por Putin, o qual só encontrou já dentro da sede do governo russo.

Entre reunião, almoço e declarações, Bolsonaro passou cerca de três horas e meia no Kremlin. Deixou o local por volta das 17h30 e seguiu para encontro com o presidente da Duma, equivalente à Câmara dos Deputados no Brasil.

Mais lidas
Últimas notícias