Notícias, furos e bastidores de política e economia. Com Gustavo Zucchi

Grupos católicos fazem ataques a Lula e pedem “oração contra comunismo”

Movimentos católicos ultraconservadores lançaram ofensiva contra a candidatura de Lula ao Palácio do Planalto

atualizado 16/08/2022 15:43

candidato presidencia Luiz inacio lula da Silva durante Convenção Nacional do PSB, em pauta está a escolha do candidato a vice-presidente da República, Geraldo Alckmin 2Gustavo Moreno/Metrópoles

Assim como lideranças evangélicas, alguns grupos católicos ultraconservadores decidiram fazer uma ofensiva contra a candidatura do ex-presidente Lula ao Palácio do Planalto.

No domingo (14/8), o Instituto Plinio Corrêa de Oliveira (IPCO), dissidência da antiga TFP (Tradição, Família e Propriedade), lançou “oração contra o comunismo”.

Logo na introdução, um membro do grupo explica que é necessário orar, já que “uma seita vermelha quer voltar ao poder no Brasil”, sem citar diretamente o PT, partido de Lula, cuja bandeira é vermelha.

“Ao mesmo tempo, uma grande reação conservadora neste país se levanta. E nós temos que fazer o possível, o que estiver ao nosso alcance, para incentivar essa reação”, afirma o locutor.

O grupo ultraconservador esteve nas manifestações do 7 de Setembro de 2021. Neste ano, entretanto, a entidade ainda não convocou oficialmente seus membros a participarem dos atos pró-Bolsonaro.

“Dever de casa”

Outro grupo, o Centro Dom Bosco, que ajudou a eleger em 2018 a deputada federal bolsonarista Chris Tonietto (PL-RJ), divulgou, há uma semana, vídeos de palestras com reclamações sobre o número de católicos que apoiam Lula.

No evento, um palestrante, ao lado do deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ), diz que “os protestantes estão fazendo o dever de casa”, enquanto mais de “50% dos católicos estão votando no Lula”.

“Os protestantes são quase 80% votando no Bolsonaro. Estão fazendo o dever de casa. Quando você olha os católicos, é devastador. Mais de 50% dos católicos votando no Lula. É triste. Quem é católico deve ficar envergonhado. Como a gente explica que o católico vota no candidato revolucionário? Que tem dito explicitamente, para todo mundo ouvir, que defende o assassinato intrauterino, outro nome para aborto; ele, que vai censurar a opinião pública na internet; ele, que vai atacar a propriedade privada, ou sugere isso quando diz que a classe média ostenta um padrão de vida que não condiz com a sua realidade”, afirma o membro do grupo no vídeo.

Lula lidera entre católicos

Os ataques desses contra Lula chamam atenção, uma vez que o ex-presidente é o candidato preferido para a maioria dos eleitores que se declaram católicos (52%), segundo pesquisa Datafolha divulgada em 28 de julho.

O petista também lidera entre o eleitorado espírita (51%). Já o presidente Jair Bolsonaro lidera entre evangélicos, com 43% da preferência desse grupo de eleitores.

Mais lidas
Últimas notícias