Notícias, furos e bastidores de política e economia. Com Gustavo Zucchi

Corregedor do TSE promete “surpresa” em julgamento de Bolsonaro-Mourão

Voto do ministro Luis Felipe Salomão é um dos mais esperados, porque foi ele o responsável por conduzir a apuração no tribunal

atualizado 26/10/2021 16:24

O corregedor do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luis Felipe Salomão, tem prometido a outros integrantes da Corte uma “surpresa” em seu voto no julgamento das ações que pedem a cassação da chapa Jair Bolsonaro-Hamilton Mourão. O julgamento começará na noite desta terça-feira (26/10).

O voto de Salomão é um dos mais esperados, porque o corregedor foi o responsável por conduzir a apuração no tribunal. O ministro não tem antecipado detalhes, mas até mesmo a defesa de Jair Bolsonaro já espera que o corregedor profira um voto cheio de “recados” ao presidente da República.

Outros ministros do TSE ouvidos pela coluna afirmam que Salomão não deu pistas sobre qual seria a surpresa. A aposta da cúpula da Corte, porém, é de que qualquer que seja ela, o julgamento terminará ainda nesta semana, para que Salomão participe de todo o processo. O ministro deixará o tribunal na sexta-feira (29/10).

Com a previsão de concluir a análise das ações nessa semana, pelo menos uma opção de “surpresa” pode, em tese, ser descartada: a de uma possível reabertura de prazo para instrução. Se o prazo fosse reaberto, o julgamento não poderia ser concluído nesta semana.

Há quem aposte que a surpresa pode estar ligada ao inquérito que apura os ataques às urnas eletrônicas feitas por Bolsonaro em uma live. Nesta segunda-feira (25/10), Salomão pediu ao presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, o compartilhamento das provas do inquérito das fake news com a apuração sobre as urnas.

As ações que serão julgadas pelo TSE nesta terça-feira argumentam que Bolsonaro e Mourão teriam cometido abuso de poder econômico e uso indevido dos meios de comunicação nas eleições de 2018, por supostamente terem comandado a contratação de empresas de disparo em massa de mensagens contra o PT.

Mais lidas
Últimas notícias