Apuração indica que análise de auditor do TCU foi episódio isolado

Auditor produziu estudo que levou o presidente Jair Bolsonaro a sugerir uma supernotificação de mortes por Covid-19 em 2020 no Brasil

atualizado 03/08/2021 7:45

Presidente do TCU decide afastar auditor que passou dados a BolsonaroReprodução

Apuração feita até agora pelo Tribunal de Contas da União (TCU) aponta ter sido um episódio isolado a produção, pelo auditor da corte Alexandre Figueiredo Costa Silva Marques, de uma análise distorcida que indicava uma suposta supernotificação de mortes por Covid-19 no Brasil.

Usado pelo presidente Jair Bolsonaro para questionar o total de óbitos pela doença, o relatório produzido por Silva Marques indicava que o número real de mortes pelo novo coronavírus em 2020 teria sido cerca de metade do registrado pelas secretarias estaduais de Saúde.

Após a citação por Bolsonaro, o TCU abriu um processo disciplinar contra o auditor. Segundo fontes da corte, com as provas e depoimentos colhidos até agora, a comissão que apura o caso acredita que Marques não teria tentado antes produzir outros relatórios ou induzir linhas de fiscalização favoráveis ao governo.

A comissão que apura a conduta do auditor é composta por outros três auditores do TCU e promete entregar o relatório final sobre o caso para a Corregedoria do tribunal até 10 de agosto. O grupo ainda espera a CPI da Covid compartilhar documentos sobre Silva Marques obtidos pelo colegiado do Senado.

Últimas notícias