Notícias, furos e bastidores de política e economia. Com Gustavo Zucchi e Victoria Abel

Aliados usam Garotinho para apostar em melhora de Bivar nas pesquisas

Interlocutores do pré-candidato do União Brasil lembram que Garotinho também não pontuava bem em 2002, antes de iniciar campanha na TV

atualizado 06/06/2022 11:10

Luciano Bivar Marcelo Camargo/Agência Brasil

Embora Luciano Bivar não tenha sequer pontuado nas pesquisas até agora, aliados do pré-candidato do União Brasil à Presidência da República não jogm a toalha sobre as chances dele nas eleições deste ano.

Exalando otimismo, dirigentes do partido  dizem que é necessário aguardar o início da propaganda no rádio e na televisão para avaliar até onde Bivar conseguirá chegar.

O exemplo para Bivar, dizem, está dentro do próprio partido. Caciques lembram da campanha presidencial de Anthony Garotinho em 2002, então candidato do PSB na disputa presidencial.

Na ocasião, o ex-governador do Rio aparecia atrás de Ciro Gomes (então no PPS) nas primeiras pesquisas e acabou na terceira colocação ao final do pleito, próximo do porcentual obtido por José Serra (PSDB) no 1º turno.

Esperança na televisão

Além de ter a maior fatia do fundo eleitoral, o União poderá se beneficiar de um dos maiores tempos de televisão na propaganda eleitoral gratuita.  Mesmo sozinho, a sigla poderá ter tempo semelhante ao de Jair Bolsonaro e Lula.

Adversários de Bivar lembram, contudo, que o tempo de TV não foi suficiente na eleição de 2018. O vitorioso Bolsonaro tinha míseros 8 segundos por bloco de propaganda eleitoral.

Já o ex-governador Geraldo Alckmin, então candidato do PSDB ao Palácio do Planalto, tinha uma coligação que lhe garantiu 5 minutos e 32 segundos por bloco, mas acabou em quarto lugar na disputa.

Mais lidas
Últimas notícias