Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Natália Portinari

Witzel pede à Corte Interamericana para retomar direitos políticos

Witzel alega que seus direitos políticos, de igualdade perante a lei e de proteção judicial, lhe foram negados

atualizado 04/06/2022 9:31

Wilson Witzel depõe à CPI da Covid Rafaela Felicciano/Metrópoles

O ex-governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel acionou a Corte Interamericana de Direitos Humanos, nesta sexta-feira (3/6), para pedir a restituição de seus direitos políticos e revisão do processo que resultou em seu impeachment.

Witzel alega que seus direitos políticos, de igualdade perante a lei e de proteção judicial, lhe foram negados. Afirma também que a cassação de seu mandato “burla a soberania popular” e é considerada “um ataque ao Estado Democrático de Direito”.

O ex-governador compara o Brasil aos países de Cuba e da Venezuela, e declara também que foi vítima de perseguição política. No documento, Witzel mostra partes de ações que propôs à Justiça brasileira, nas quais alegou que a decisão em favor da cassação de seu mandato já estava tomada antes do fim do processo.

Desde que sofreu o processo de impeachment, Witzel já tentou anular a decisão em todas as instâncias da Justiça, mas não obteve sucesso. O ex-governador foi acusado de organizar esquemas de corrupção na Saúde do estado.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna