Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Natália Portinari

Única sobrevivente do atentado a Marielle: “Quatro anos de impunidade”

Fernanda Chaves segue perguntando quem matou Marielle e Anderson, quem mandou matá-los e por quê; crime completou quatro anos sem respostas

atualizado 14/03/2022 17:00

jornalista Fernanda Chaves, única sobrevivente do atentado a Marielle Franco Arquivo pessoal

A jornalista Fernanda Chaves, única sobrevivente do assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, segue perguntando quem matou seus amigos, quem mandou matá-los e por quê. Nesta segunda-feira (14/3), a execução completa quatro anos. E essas perguntas seguem sem resposta.

Em conversa com a coluna, Chaves afirmou que a demora na resolução do atentado abriu as portas para violência política contra as mulheres, expõe forças políticas que paralisam instituições e colocam a democracia brasileira em risco.

“Precisamos continuar perguntando quem mandou matar Marielle e o porquê, mas precisamos insistir também em outra pergunta tão pertinente quanto: que forças são essas que operam de modo que nem a Polícia Civil nem o Ministério Público tenham capacidade de resolver um dos crimes mais relevantes da história recente do Brasil. Está claro que existem forças impeditivas”, disse, acrescentando:

“A falta de um desfecho competente, além de desacreditar as instituições, abre uma porteira para ainda mais violência, sobretudo para as mulheres na política. Para falar só do partido da Marielle, o PSol, foram 18 mulheres parlamentares eleitas que foram ameaçadas de morte recentemente. O não esclarecimento desse caso põe a nossa democracia em xeque”.

Quatro anos depois que o carro com Marielle, Anderson e Fernanda foi crivado de balas no Rio de Janeiro, a investigação foi prejudicada por diversos contratempos. No mês passado, o quinto delegado responsável pelo caso começou a trabalhar. Três grupos de promotores já passaram pelo processo.

“São quatro anos de muitas saudades, muita tristeza e, pior, sem repostas. Quatro anos de impunidade”.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
Publicidade do parceiro Metrópoles 5
Publicidade do parceiro Metrópoles 6
Publicidade do parceiro Metrópoles 7
Publicidade do parceiro Metrópoles 8
Publicidade do parceiro Metrópoles 9
Publicidade do parceiro Metrópoles 10
Publicidade do parceiro Metrópoles 11
Publicidade do parceiro Metrópoles 12
Publicidade do parceiro Metrópoles 13
0

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna