Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Natália Portinari

Senadora da base do governo diz que reforma tributária é “preocupante”

Margareth Buzetti, suplente do ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, disse ver com "preocupação" a reforma tributária do governo Lula

atualizado 06/03/2023 12:20

O ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, posa para foto ao lado de sua suplente, a senadora Margareth Buzetti Guilherme Martimon/MAPA

A senadora Margareth Buzetti, suplente do ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, disse que está preocupada com a reforma tributária que o governo Lula pretende aprovar no Congresso.

“Vejo [a reforma] com preocupação. Temos pontos importantes para serem discutidos. O Mato Grosso é um estado essencialmente agrícola, não tem condição. Vamos fazer fundos e ficar vivendo e esperando o fundo?”, afirmou a senadora do PSD. “É preciso fazer a reforma e modernizar nosso sistema, que é uma coisa de louco, mas vamos fazer a tributária sem ter uma reforma administrativa antes?”.

Buzetti disse que o agronegócio precisará ser contemplado na discussão da reforma. “O Mato Grosso tem 3,2 milhões de habitantes, não tem produto com valor agregado. Como o estado vai sobreviver? É difícil, teremos que pensar. O Brasil é um país agrícola, precisamos respeitar o agronegócio. Temos muitos pontos que precisam ser discutidos”, afirmou.

A suplência de Fávaro foi um dos pontos que atrasou a sua nomeação para o Ministério da Agricultura. Buzetti fez campanha para Bolsonaro nas eleições do ano passado, mas garantiu a Fávaro que votaria com o governo para aprovar pautas prioritárias no Senado. Ela disse que não conversou com o ministro sobre o projeto de reforma tributária.

Buzetti foi uma das senadoras presentes no almoço que a Frente Parlamentar da Agricultura (FPA) organizou na terça-feira (28/2), em Brasília, para discutir a reforma tributária. O presidente da FPA, Pedro Lupion (PP-PR), também afirmou no encontro que o agronegócio precisará ser “respeitado” na reforma.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna