Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Lucas Marchesini

Senado gasta R$ 23,5 milhões com cota parlamentar em 2021

Valor é 15% maior do que foi gasto em 2020

atualizado 01/01/2022 9:51

Plenário do Senado

Os senadores gastaram R$ 23,5 milhões com a cota parlamentar em 2021. O valor é 14,9% maior do que os R$ 20,4 milhões usados pelos parlamentares em 2020.

A cota parlamentar é um valor reservado para auxiliar cada senador usar no exercício do seu mandato. Esses valores podem ser gastos com passagens aéreas, aluguel de escritórios de apoio e combustível, entre outros.

A contratação de consultorias, assessorias, pesquisas, trabalhos técnicos e outros serviços de apoio ao exercício do mandato parlamentar é o item que recebeu a maior parte dos valores. Foram R$ 5,5 milhões para essa categoria neste ano.

Em seguida estão as passagens aéreas, com R$ 5,1 milhões, e gastos com locomoção, hospedagem, alimentação e combustível, com R$ 4,2 milhões.

O campeão de gastos em 2021 foi o senador Omar Aziz, do PSD do Amazonas. Ele utilizou R$ 527,7 mil ao longo deste ano. O segundo lugar é de Rogério Carvalho, do PT de Sergipe, com R$ 496,6 mil. A terceira colocação ficou com Lucas Barreto, do PSD do Amapá, com R$ 492 mil. Na média, cada senador gastou R$ 272,8 mil da cota em 2021.

O valor da cota varia de estado para estado por causa das diferentes distâncias de Brasília para cada estado do Brasil. O Amazonas, estado do campeão de 2021, tem o maior valor mensal. Por outro lado, o DF tem o menor, já que os senadores da capital não precisam de passagens para retornar para casa.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna