Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Natália Portinari

Presidente do FNDE se reuniu com Centrão logo após operação no MEC

Órgão está no centro do esquema de corrupção investigado pela Polícia Federal

atualizado 24/06/2022 23:02

Presidente do FNDE, Marcelo Lopes da Ponte, depõe sobre suposto escândalo de corrupção no Ministério da Educação na Comissão de Educação, Senado. Ele fala diante de um microfone, usando terno - Metrópoles Pedro França/Agência Senado

No dia em que a Polícia Federal prendeu o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro, na quarta-feira (22/7), o presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), Marcelo da Ponte, teve um dia cheio de reuniões com deputados do Centrão, em agendas que ocorreram tanto no ministério quanto na presidência do órgão.

O FNDE está no centro do esquema de corrupção investigado pela Polícia Federal no MEC que envolveu o ex-ministro de Bolsonaro e pastores. Cabe ao FNDE transferir recursos financeiros e prestar assistência técnica aos estados, municípios e ao Distrito Federal. Para 2022, a previsão orçamentária do FNDE é de R$ 64 bilhões.

Na quarta-feira, na parte da tarde, Marcelo da Ponte se reuniu com políticos de PP, Pros, PSD e União Brasil. As informações constam na agenda oficial do presidente do fundo.

Ex-chefe de gabinete de Ciro Nogueira, Ponte chegou a ser chamado para dar informações sobre ao Senado sobre a participação de pastores lobistas em reuniões, mas negou que sua atuação tenha sido influenciada por pastores. O presidente do FNDE não foi alvo da operação feita na quarta-feira.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
Publicidade do parceiro Metrópoles 5
Publicidade do parceiro Metrópoles 6
0

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna