Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Paulo Cappelli

Presença de Moro em 22 pautará combate à corrupção e excessos; análise

A candidatura de Sergio Moro pautará o tema do combate à corrupção na eleição de 2022, assim como os erros que foram cometidos em nome dele

atualizado 29/11/2021 23:02

O candidato à presidência Sergio Moro concede coletiva no Senado Federal para apoiar o posicionamento do Podemos a favor dos programas de transferência de rendaIgo Estrela/Metrópoles

A candidatura de Sergio Moro pautará o tema do combate à corrupção na eleição de 2022, bem como os erros que foram cometidos em nome dele. Até a chegada de Moro, nenhuma campanha que havia se apresentado demonstrara predisposição de debater o tema.

Quando perguntado, o PT diz que essa não é uma aspiração do brasileiro — de fato, não é da maioria. Bolsonaro limita-se a dizer que lidera um governo limpo, por mais que os fatos apontem o contrário e ele tenha sido fundamental para o desmonte em curso do sistema de combate à corrupção. Moro agora chega com propostas nessa área e algo para mostrar. E é aí que começa a discussão.

Neste Diagnóstico, quadro da coluna com análises em vídeo, lembro que a Vaza Jato, conjunto de reportagens publicadas pelo Intercept Brasil e outros veículos com diálogos entre o então juiz e procuradores da Lava Jato, será ressuscitada ao longo da campanha como uma (grande) mancha no currículo de Moro. Sempre que falar em combater a corrupção, Moro será instado a responder sobre sua suspeição em relação a Lula e ao PT.

Por isso, o combate à corrupção é ao mesmo tempo um ativo e uma armadilha para o ex-juiz, o que fará com que Moro não o torne o principal argumento de sua campanha. Segundo um importante aliado, Moro vai focar mais no combate à fome, que as pesquisas indicam serem o tema de maior preocupação hoje da população.

Assista à análise no YouTube ou ouça no Spotify.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna