Com Bruna Lima, Eduardo Barretto e Naomi Matsui

PF cobra Apple e WhatsApp por dados de Daniel Silveira não recebidos

Polícia Federal diz ter tido acesso a apenas parte do conteúdo de celulares apreendidos

atualizado 28/05/2021 11:02

Daniel Silveira quando PMReprodução

A Polícia Federal expediu, na semana passada, pedidos para que a Apple e o Facebook, dona do WhatsApp, forneçam dados completos dos celulares apreendidos de Daniel Silveira, hoje em prisão domiciliar por ataques aos ministros do STF.

No requerimento direcionado à Apple, a PF cobra o cumprimento de uma solicitação enviada em 17 de março, quando pediu a quebra do sigilo e a extração integral do conteúdo dos aparelhos encontrados com Silveira.

A PF diz ter obtido apenas 2 megabytes do material contido em um celular Apple de Silveira, quando um relatório da empresa apontou que há quase 1,8 gigabytes de conteúdo no iCloud, serviço de dados em nuvem da gigante americana.

Já sobre o Facebook, a PF disse ter recebido somente fotos de perfis dos contatos da conta usada por Silveira, que não possuíam interesse para a investigação.

“Não foi observado qualquer dado sobre contatos da agenda, dados de conexões, dados de grupos, entre outras informações esperadas, o que leva a crer que os dados estavam disponíveis no link fornecido pela empresa, porém não foram extraídos antes de serem encaminhados para a perícia”, afirmou o relatório da PF.

O delegado da PF Leonardo Reis Guimarães ainda pediu a Alexandre de Moraes que prorrogue por mais 60 dias o prazo para investigações, afirmando que a PF ainda não teve acesso integral ao conteúdo dos aparelhos de Silveira.

Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna