Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Lucas Marchesini

PF até hoje não ouviu Jair Renan em inquérito de tráfico de influência

Negócios de filho do presidente são suspeitos de tráfico de influência e lavagem de dinheiro; CPI também mira Jair Renan

atualizado 15/10/2021 21:36

Reprodução/Instagram

Sete meses depois de abrir um inquérito para apurar supostos tráfico de influência e lavagem de dinheiro em negócios de Jair Renan Bolsonaro, filho mais novo do presidente, a Polícia Federal (PF) ainda não ouviu Jair Renan nem seu ex-parceiro comercial, Allan Lucena.

A PF abriu um inquérito para investigar se Jair Renan, por meio de seu então parceiro comercial, Allan Lucena, ganhou um carro elétrico de R$ 90 mil em troca de facilitar que a empresa Thomazini conseguisse uma agenda no Ministério do Desenvolvimento Regional. O carro foi devolvido por Lucena, segundo sua defesa.

A empresa de Jair Renan, Bolsonaro Jr Eventos e Mídia, também apareceu nas apurações da CPI da Covid. A firma foi fundada com a ajuda de Marconny Faria, lobista apontado pela comissão como lobista da Precisa Medicamentos na compra da vacina Covaxin.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna