Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Lucas Marchesini

Partidos planejam gastar mais em 2022 com gráficas em relação a 2018

Executivos do setor gráfico contam reservadamente que gastos de campanha para a eleição de 2022 crescerão 15% em relação a 2018 em média

atualizado 27/11/2021 12:16

Eleicoes 2020 SP Movimentação na Vila Ida eleicoes sao paulo zona eleitoral voto SP votacaoRafaela Felicciano/Metrópoles

Executivos do setor gráfico que têm se reunido com presidentes de partidos afirmam reservadamente que os gastos de campanha com este tipo de propaganda para a eleição de 2022 crescerão, em média, 15% em relação a 2018.

As atenções dos executivos estão voltadas para o União Brasil, o partido que nascerá da fusão entre DEM e PSL. A sigla terá aproximadamente R$ 1 bilhão para gastar no próximo pleito.

Em anos de eleição, o setor gráfico costuma apresentar um crescimento de 10% das receitas registradas em períodos normais.

Neste ano, o setor espera ter um crescimento acima da média em função da alta procura de empresas pelos serviços gráficos. Geralmente, as companhias intensificam a impressão de peças publicitárias quando registram quedas nas vendas de produtos.

Com o fim do isolamento provocado pela pandemia e a alta da inflação, empresas especializadas na venda de bebidas alcóolicas, alimentos e produtos de higiene pessoal e de limpeza recorreram em peso às gráficas para tentar atrair os consumidores de volta.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna