Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Lucas Marchesini

Novo chefe da Receita não apura denúncia de defesa de Flávio Bolsonaro

Novo secretário da Receita completou um mês no cargo sem abrir a investigação de denúncia da defesa de Flávio Bolsonaro

atualizado 13/01/2022 15:29

Reprodução/Redes sociais

Novo secretário da Receita desde o mês passado, o auditor fiscal Júlio Cesar Vieira Gomes completou um mês no cargo sem abrir a investigação contra a existência de uma organização criminosa na Receita Federal, denúncia feita pela defesa de Flávio Bolsonaro em 2020, e ignorada pelo chefe anterior do órgão, José Tostes Neto.

O atual secretário, indicado pelo ministro da Justiça, Anderson Torres, chegou ao cargo com a promessa de trocar a Corregedoria do órgão, atualmente ocupada por Fernando Lopes Pauletti, interinamente no cargo desde que se encerrou em julho do ano passado o mandato do antigo corregedor, José Pereira de Barros Neto.

A defesa de Flávio Bolsonaro tenta desde agosto de 2020 fazer com que seja investigada a denúncia que levaram naquele mês para Jair Bolsonaro, revelada pela coluna. Segundo os advogados Luciana Pires, Juliana Bierrenbach e Rodrigo Rocca, uma suposta organização criminosa instalada na Receita teria pesquisado ilegalmente o perfil tributário do filho mais velho do presidente, para municiar o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) na produção do relatório que geraria o caso Queiroz. Se comprovada, a denúncia anularia o caso.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna