Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Natália Portinari

MPRJ questiona perícia sobre prática de peculato por Carlos Bolsonaro

As perguntas enviadas à perícia de dados bancários são para atestar se houve de fato o crime de peculato ou não

atualizado 29/11/2022 21:06

Imagem colorida - Carlos Bolsonaro, conhecido como Carluxo com celular na mão- Metrópoles Redes Sociais/Reprodução

A 3ª Promotoria de Justiça e Investigação Especializada do Ministério Público do Rio de Janeiro enviou uma série de perguntas para a perícia do MP no caso que investiga a prática de rachadinhas — peculato — no gabinete de Carlos Bolsonaro na Câmara do Rio.

As perguntas, enviadas em setembro, duas semanas antes do primeiro turno da eleição, são para atestar se houve de fato o crime de peculato ou não. A perícia vem analisando, desde maio deste ano, dados de contas bancárias de 26 assessores de Carlos.

Apenas após a análise dos dados, que é esperada que seja concluída em março de 2023, o MP do Rio decidirá se vai apresentar uma denúncia ou arquivar o caso contra o vereador.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna