Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Natália Portinari

Marçal renuncia à candidatura ao Planalto: “Nunca andarei com o PT”

Oficializado na convenção do Pros, Pablo Marçal reprovou aproximação de dirigentes do partido com Lula

atualizado 03/08/2022 23:53

Imagem colorida de homem com braços abertos Divulgação

Oficializado na convenção do Pros como candidato do partido à Presidência, Pablo Marçal diz reprovar conversas de dirigentes da legenda com o PT. O empresário e coach afirma que, por conta desse movimento, anunciará a renúncia de sua candidatura ao Planalto:

“Vou renunciar à candidatura por conta disso (aproximação do Pros com o PT). Sou contra o PT. Não vão me ver nunca apoiando o PT. O Brasil já errou quatro vezes, não pode errar a quinta”, disse, fazendo alusão às eleições de Lula e Dilma Rousseff. Nesta quarta-feira (3/8), dirigentes do Pros decidiram apoiar Lula após conversas com Aloísio Mercadante e Geraldo Alckmin.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
Publicidade do parceiro Metrópoles 5
0

Indagado se tentará manter sua candidatura ao Planalto pela via judicial, uma vez que seu nome foi aprovado em convenção partidária, Pablo Marçal desconversou. Enigmático, respondeu apenas:

“Política é igual céu: todo dia muda.”

Marçal já havia dito em conversas privadas com um ministro de Bolsonaro que, num segundo turno, apoiaria o atual presidente.

Atualização às 23h50 de 3 de agosto: Após a conversa com a coluna, Marçal convocou seguidores para uma live intitulada “A renúncia de Marçal”. Nela, o coach afirmou que renunciaria a uma série de fatores, menos à Presidência. E disse que acionará a Justiça para se manter na disputa.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna