metropoles.com

Laudo vê fraude em assinatura de venda de mansão em ilha a amigo de Flávio Bolsonaro

Advogado Willer Tomaz, amigo de Flávio Bolsonaro, afirma que representante de empresa lhe vendeu mansão em ilha paradisíaca, mas ela nega

atualizado

Compartilhar notícia

WhatsApp Image 2022-10-06 at 02.35.37
1 de 1 WhatsApp Image 2022-10-06 at 02.35.37 - Foto: null

Um laudo adicionado ao processo que disputa a posse de uma mansão numa ilha de Angra dos Reis (RJ) comprova que foi fraudada a assinatura de Maria Alice Menna, dona da M Locadora, empresa que tinha o registro de direito de uso da ilha.

O advogado Willer Tomaz, amigo de Flávio Bolsonaro e que vem empenhando esforços para tomar a casa desde que o senador se encantou pelo local, afirmou à Justiça que Maria Alice Menna teria transferido todos os direitos da empresa para Donato Galvez, proprietário de 33% da M Locadora e que concordou em vender o imóvel para Tomaz. A proprietária nega que tenha aberto mão de seus direitos na empresa e pede que a Justiça anule todo o processo jurídico que deu ao amigo de Flávio a posse do imóvel.

A mansão é alvo de disputa entre a empresa do jogador da Seleção Brasileira Richarlison e de seu empresário Renato Velasco e Willer Tomaz.

0

Segundo um boletim de ocorrência registrado no dia 18 de julho deste ano na Polícia Civil do Rio de Janeiro por Maria Alice, Donato Galvez a teria coagido a assinar documentos informando, vagamente, serem “algumas alterações contratuais” devido à morte dos sócios originais. Maria Alice e Donato são inventariantes da M Locadora.

Alguns dias depois, ainda segundo o boletim de ocorrência, Donato teria ido ao cartório autenticar outra alteração contratual, que, contudo, não havia sido assinada por Maria Alice Menna. Segundo Maria Alice, a 22ª alteração contratual, que transferiu a posse da mansão na Ilha Comprida para Willer Tomaz, foi apresentada ao cartório com uma assinatura falsa de Maria Alice.

“Donato fez a alteração contratual com o fim de obter para si vantagem ilícita em prejuízo da depoente, a induzindo e a mantendo em erro, mediante artifício fraudulento; [Maria Alice disse] que o novo contrato de venda feito por Donato e registrado em 25 de abril de 2022 em sua cláusula terceira. [Maria Alice disse] que Donato vende a casa de Angra dos Reis por R$ 600. 000, 00 e diz que todo o montante deve ser transferido para sua conta”, afirma Maria Alice.

O advogado e amigo de Flávio Bolsonaro afirma ser ele o legítimo detentor por ter quitado pendências fiscais e administrativas da empresa, em troca de ter o direito de uso.

(Atualização às 17h55 de 6 de outubro de 2022: Em nota à coluna, o advogado Willer Tomaz afirma que Maria Alice Menna reconheceu em juízo a veracidade de uma assinatura sua no caso. De fato, a idosa diz que assinou documentos, mas afirmou em registro de ocorrência ter sido enganada pelo outro representante da M Locadora, que dizia tratar-se de documentos para dar baixa na empresa. Willer Tomaz disse também ter um laudo contratado por ele, a exemplo do contratado por Maria Alice, atestando a veracidade da assinatura que ela diz ser falsa. A assinatura se refere à 22ª alteração contratual no registro da empresa, lavrada por Donato em 20 de maio, e que possibilitou que o imóvel e o terreno na Ilha Comprida tivessem as escrituras transferidas para a empresa de Willer Tomaz, o que aconteceu em 11 de julho de 2022. A idosa sustentou, inclusive em Juízo, que não vendeu a casa.)

0

Compartilhar notícia