Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Lucas Marchesini

Jair Renan Bolsonaro promete dar festas em sua mansão no Carnaval

Declaração foi dada na estreia de Jair Renan em programa de rádio, que teve dancinha de TikTok; influenciador digital segue alvo da PF

atualizado 06/01/2022 21:14

Jair Renan Bolsonaro dança em programa na rádioReprodução

Jair Renan Bolsonaro, filho mais novo do presidente, afirmou nesta quinta-feira (6/1) que promoverá festas em sua casa no Carnaval, depois que o governo do Distrito Federal anunciou que cancelará as festas do feriado por causa do surto de Covid. A declaração foi dada na estreia de Renan em uma rádio de Brasília em que ganhou um programa semanal de rádio, como mostrou a coluna. O filho de Jair Bolsonaro é alvo de um inquérito da PF que apura supostos tráfico de influência e lavagem de dinheiro. Foi chamado a depor no mês passado, mas alegou estar doente.

“Se não tiver nada aberto, vou abrir as coisas lá em casa e fazer umas festas lá em casa mesmo”, disse o influenciador digital. Jair Renan mora com sua mãe, Ana Cristina Siqueira Valle, ex-mulher de Jair Bolsonaro, em uma mansão avaliada em R$ 3,2 milhões no Lago Sul, área nobre da capital.

A taxa de transmissão da Covid-19 chegou a 1,27 no Distrito Federal, o que aponta que a pandemia voltou a avançar. O governador, Ibaneis Rocha, afirmou que cancelará as festas de Carnaval no DF, como mostrou a coluna Grande Angular. Inicialmente, estão suspensas as festas públicas e privadas.

No “Podcast Zero 4”, transmitido das 17h às 19h, Jair Renan fez uma dancinha de TikTok e disse ter recebido mensagens de fãs. Ele aproveitou: “Tô solteiro, pode vir”. Para encerrar o programa, Jair Renan escolheu a música “Cabeça branca”, de Tierry, que diz o seguinte: “Cabeça branca é um cidadão de bem, um empresário que precisa relaxar. Fim de semana, ele pega as novinhas e patrocina um churrascão em alto-mar”.

0

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna