Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Natália Portinari

Irmã de Marielle rebate Witzel: “Se elegeu com a política do ódio”

Assassinato segue sem solução, três anos e três meses depois

atualizado 16/06/2021 21:50

Anielle Franco Divulgação

Anielle Franco, irmã de Marielle Franco, rebateu a declaração de Wilson Witzel na CPI da Covid nesta quarta-feira (16/06) de que foi perseguido pelo Planalto por ter mandado investigar a morte de Marielle “sem parcialidade”.

“Witzel se elegeu com a política do ódio. Todo mundo viu ele fazendo campanha ao lado de candidatos quebrando uma placa em homenagem à minha irmã. Não vou aceitar que fiquem usando o nome da minha irmã como escudo em vão”, afirmou Anielle Franco, acrescentando:

“Se o presidente interferiu nas investigações do assassinato de uma vereador, isso é serio e reitero que precisa ser investigado. Do presidente ao papa, se tem alguma chance, que se investigue”. Três anos e três meses após a execução de Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, o crime segue sem solução.

 

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna