Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Lucas Marchesini

Ford Brasil luta para não ser engolida pela Ford argentina

A Ford anunciou o encerramento de fábricas no Brasil, mas manteve as operações na Argentina

atualizado 26/11/2021 21:33

caminhonetesIgo Estrela/Metrópoles

A Ford no Brasil tem se esforçado para manter o prestígio no jogo de forças da multinacional, desde que foi tomada a decisão de não mais fabricar carros aqui. Em especial, há o receio de que a Ford Argentina, onde a empresa ainda tem fábricas, engula a operação brasileira.

Esse foi o pano de fundo da escolha, em abril, do CEO Daniel Justo. O CEO argentino, Martin Galdeano, vinha se movimentando para ter ascensão sobre decisões brasileiras. Chegou a ser cogitada a escolha de um sul-africano para o posto no Brasil, o que seria um sinal de desprestígio da unidade brasileira.

Atualmente, na América do Sul, a Ford tem apenas uma fábrica em Pacheco, na Argentina, e uma pequena joint-venture no Uruguai, para fabricar o Transit. As fábricas brasileiras de Camaçari (BA), São Bernardo do Campo (SP) e Taubaté (SP) tiveram a produção de veículos encerrada, mas seguem produzindo componentes e peças.

Serão nesses espaços em que carros importados serão adaptados para o mercado nacional, como o Transit, que a Ford vai voltar a comercializar no Brasil, adaptando os veículos importados como de carga para serem vans de passageiros, o que também será uma maneira de driblar a alta de impostos.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna