Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Lucas Marchesini

Forças Armadas gastaram R$ 54,6 milhões no maior treinamento do ano

Operação Meridiano teve cerca de 5 mil militares

atualizado 05/12/2021 8:39

Operação MeridianoDivulgação/Ministério da Defesa

As Forças Armadas gastaram cerca de R$ 54,6 milhões com a Operação Meridiano, o maior exercício militar do Brasil em 2021. O treinamento, que envolveu Exército, Aeronáutica e Marinha, aconteceu em outubro e novembro em quatro estados.

A operação foi dividida em três fases: a Poti, no Pará, sob o comando da Aeronáutica; a Dragão, no Rio de Janeiro e Espírito Santo, chefiada pela Marinha; e a Ibagé, que o Exército liderou no Rio Grande do Sul.

A mais cara foi a Ibagé, ao custo de R$ 22,4 milhões. A Dragão custou R$ 22,1 milhões. A Poti teve despesa de R$ 10,1 milhões. Participaram cerca de 5 mil militares, com mil viaturas, aviões e helicópteros. O treinamento contou com tiros de artilharia e demonstração de descontaminação nuclear e química. Os dados foram obtidos por meio da Lei de Acesso à Informação.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna