Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Lucas Marchesini

Diretor da Aneel atua por jabutis na MP da Crise Hídrica

Diretor da agência tem trabalhado por medida que pode afetar conta de consumidores

atualizado 28/10/2021 16:05

Valter Campanato/Agência Brasil

A luta do governo contra a inclusão de jabutis na MP da Crise Hídrica ganhou um inimigo que tem constrangido o ministro de Minas e Energia: a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Integrantes do setor de energia têm reclamado que Efrain da Cruz, diretor da agência, defende não apenas a aprovação de gasodutos de distribuição para viabilizar térmicas locacionais (aquelas com localização pré-determinada com o objetivo de ancorar investimentos de infraestrutura), mas também trabalha para que a remuneração desses ativos vá para a conta dos consumidores, tal como ocorre com as linhas de transmissão.

A questão é o impacto da medida: estima-se que o custo seja de R$ 33 bilhões para o bolso do consumidor.

A coluna contatou a Aneel, mas não obteve retorno. O espaço está aberto a manifestações.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna