Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Naomi Matsui

Delegado que investigou Felipe Neto e Bonner agora mira jornalista do Intercept

Pablo Dacosta Sartori serviu como testemunha para abertura de inquérito contra Leandro Demori

atualizado 08/06/2021 18:27

Reprodução

O delegado Pablo Dacosta Sartori, que abriu investigações contra Felipe Neto, William Bonner e Renata Vasconcellos, deu o pontapé para a abertura de um inquérito policial contra Leandro Demori, editor-executivo do site The Intercept Brasil.

A abertura do inquérito foi assinada pela delegada Daniela dos Santos Rebelo Pinto, em 19 de maio deste ano, com duração de 30 dias, e corre na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática, comandada por Sartori.

Demori foi intimado a depor nesta quinta-feira, às 14h.

O motivo seria o conteúdo de uma newsletter publicada em 8 de maio pelo The Intercept, com acusações contra policiais civis do Rio de Janeiro, especificamente da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core).

A newsletter afirmava que agentes envolvidos no massacre no Jacarezinho são “conhecidos como “facção da Core”.

O inquérito foi pedido pelo próprio Sartori, que serviu como testemunha para a solicitação.

Leandro Demori

O delegado foi o mesmo que intimou Felipe Neto a depor, após o youtuber ter chamado Jair Bolsonaro de “genocida”, e que abriu uma investigação contra os jornalistas apresentadores do Jornal Nacional, para apurar uma notícia-crime registrada por Flávio Bolsonaro.

A coluna procurou a Polícia Civil do Rio de Janeiro, mas ainda não obteve resposta. O espaço está aberto para manifestações.

(Atualização às 18h20 de 8 de junho de 2021: Em nota, a Polícia Civil afirmou: “O inquérito foi aberto no dia 12 de maio após denúncia de policiais da CORE, que se sentiram ofendidos pelas postagens dos dois jornalistas. O inquérito tem 30 dias para ser concluído, podendo ser prorrogado caso necessário. Quem assinou a abertura do procedimento foi a delegada Daniela Rebelo, que estava substituindo o titular da DRCI, afastado por licença médica”.)

Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna