Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Lucas Marchesini

Coca-Cola alerta para falta de PET e pede menor alíquota de importação

Usina da Indorama, responsável por 60% da produção nacional de resina PET, está paralisada desde que foi atingida por um incêndio em agosto

atualizado 06/09/2021 0:32

Reprodução

A Coca-Cola está tentando acionar o Ministério da Economia para solicitar a redução da alíquota de importação para resina PET. A empresa identificou um risco real de desabastecimento de garrafas PET caso não obtenha incentivos para trazer a matéria-prima de fora do país.

A Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast) havia alertado no último dia 27 que o Brasil corria riscos de enfrentar o desabastecimento de garrafas devido ao incêndio que obrigou a empresa Indorama a interromper as atividades na fábrica localizada no porto de Suape, em Pernambuco, no dia 14 de agosto. A produção ainda não foi retomada.

A empresa é responsável pela fabricação anual de 550 mil toneladas de resina PET, o que equivale a 60% de toda a produção nacional.

Em função das temperaturas mais elevadas, a demanda no segundo semestre por água e bebidas engarrafadas com PET é maior do que nos seis primeiros meses do ano. Representantes do setor acreditam que a procura deverá ser ainda maior neste ano por conta da crise hídrica. A resina PET também é usada nas embalagens de alimentos e de produtos de limpeza.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna