Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Lucas Marchesini

Câmara trava denúncia de deputada contra Eduardo Bolsonaro por ameaça

Um mês depois, processo não começou a tramitar no Conselho de Ética da Casa

atualizado 15/10/2021 21:40

Deputada Dayane PimentelDivulgação

Depois de um mês, uma denúncia apresentada contra Eduardo Bolsonaro por ameaça ainda não começou a tramitar no Conselho de Ética da Câmara. O documento foi apresentado em 14 de setembro pela deputada Dayane Pimentel, do PSL da Bahia. A parlamentar alegou que tem sido perseguida e ameaçada nas redes sociais pelo filho do presidente.

Segundo a deputada, Eduardo Bolsonaro tenta intimidá-la nas redes sociais desde 2019, quando rompeu com o governo Bolsonaro. Isso faz com que a parlamentar tema por sua “integridade física e moral”, segundo a representação. Caso aceite a denúncia e considere que houve quebra de decoro parlamentar, o colegiado pode recomendar a cassação de Eduardo.

O estopim para a denúncia foi uma publicação feita por Eduardo em 13 de setembro. Na imagem, a deputada aparece com um alvo de uma arma no rosto. Eduardo chamou a colega de “traíra”. Em outro post contra a deputada, Eduardo reproduziu uma música que diz: “Traíra, quem age assim acaba na alça da mira”.

De bolsonarista ferrenha a entusiasta de protestos “Fora, Bolsonaro” no mesmo mandato, Pimentel ainda precisa conviver diretamente com Eduardo e seus assessores na rotina do Câmara. É que os dois são vizinhos de gabinete e dividem a mesma parede na Casa.

Pimentel começou a se aproximar do clã Bolsonaro ainda em 2016, quando Jair Bolsonaro compartilhou um vídeo em que a professora baiana elogiava o então deputado e a militarização das escolas.

Depois, conheceu Bolsonaro pessoalmente em Brasília e se ofereceu para escrever seus discursos. De pronto, Bolsonaro recusou a oferta, mas pediu que ela lhe levasse a eventos eleitorais na Bahia, o que aconteceu nas eleições de 2018. Bolsonaro chegou ao Planalto e Pimentel, à Câmara. Hoje, além de pedir o impeachment do presidente, Pimentel tem se aproximado cada vez mais de outro ex-bolsonarista de olho em 2022: Sergio Moro.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna