Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Paulo Cappelli

Câmara celebra PM do Rio de Janeiro e ignora letalidade policial

Rio de Janeiro registrou uma chacina policial a cada nove dias; homenagem foi feita a pedido de bolsonarista

atualizado 10/05/2022 16:42

Justiça manda soltar jovem Yago preso ao comprar pão no Jacarezinho 3Aline Massuca/Metrópoles

A Câmara homenageou nesta terça-feira (10/5) a Polícia Militar do estado do Rio de Janeiro em plenário e ignorou os recordes de letalidade da corporação. Em discurso enviado à cerimônia, o presidente da Casa, Arthur Lira, declarou que a PM não se desviou dos “mais nobres valores” em 213 anos de história. O estado do Rio de Janeiro registrou uma chacina policial a cada nove dias de 2007 a 2021, apontou um estudo na última sexta-feira (6/5).

O levantamento, feito pelo Grupo de Estudos dos Novos Ilegalismos (Geni), da Universidade Federal Fluminense (UFF), também mostrou que 41% das operações policiais na região metropolitana do Rio de Janeiro foram chacinas desde 2007. O relatório foi divulgado no primeiro aniversário da chacina do Jacarezinho, a operação mais letal da história do estado.

Em 2018, a polícia fluminense foi a mais letal do Brasil, o que representou 23% de toda a letalidade policial no país naquele ano, segundo o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

No plenário da Câmara, o clima era de celebração. A cerimônia foi solicitada e comandada pelo deputado Gurgel, correligionário de Jair Bolsonaro. Para o parlamentar, a PM fluminense é a “melhor do mundo”.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna