Com Eduardo Barretto (interino), Bruna Lima, Eduardo Ghirotto e Paulo Cappelli

Augusto Aras prepara parecer sobre mais um tema caro a Bolsonaro

Procurador-geral da República, Auguso Aras terá de tomar mais uma decisão sensível para Jair Bolsonaro

atualizado 22/05/2022 5:35

Roberto Jayme/ Ascom /TSE

O procurador-geral da República, Augusto Aras, terá de tomar mais uma decisão sensível para Jair Bolsonaro. Nos últimos dias, o ministro Kassio Nunes Marques, do STF, pediu o parecer de Aras sobre a cassação do ex-deputado estadual bolsonarista Fernando Francischini, o primeiro parlamentar condenado por fake news contra as urnas eletrônicas.

Em outubro do ano passado, o plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) cassou o mandato de Francischini e tornou o bolsonarista inelegível por oito anos, atendendo a um pedido do MP Eleitoral. No dia do primeiro turno do pleito de 2018, o então candidato fez uma live em seu Facebook fazendo ataques sem provas e com informações falsas contra o sistema eleitoral.

No julgamento, ministros deram recados duros sobre o tema. “É um precedente muito grave que pode comprometer todo o processo eleitoral se acusar, de forma inverídica, a ocorrência de fraude e se acusar a Justiça Eleitoral de estar mancomunada com isso”, declarou o ministro Luís Roberto Barroso.

Bolsonaro logo reagiu. “A cassação dele foi um estupro. Foi uma violência contra a democracia”, disse o presidente, na semana seguinte. Nessa época, Bolsonaro já era investigado no STF e no TSE por ter feito ataques sem provas às urnas em uma live da Presidência.

Há ainda outro laço do governo com o parlamentar condenado: o ministro da Justiça, Anderson Torres, foi chefe de gabinete de Francischini em 2010, quando era deputado federal.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna