Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Paulo Cappelli

Adrilles usa R$ 1,67 mi do Fundão para contratar empresa que produz programa de colegas da Jovem Pan

Candidato a deputado federal pelo PTB, Adrilles Jorge contratou R$ 1,67 milhão em serviços da produtora responsável pelo programa "4 por 4"

atualizado 22/09/2022 17:02

O comentarista Adrilles Jorge, candidato a deputado federal em São Paulo pelo PTB, usou R$ 1,67 milhão do Fundão Eleitoral para contratar a empresa Brasil Media House, responsável por produzir o programa on-line “4 por 4”. A atração, transmitida no YouTube, é apresentada por antigos colegas de Adrilles que trabalham na emissora Jovem Pan. Adrilles postou nas redes sociais que a produtora foi contratada para fazer a “gestão financeira” da campanha.

O programa “4 por 4” é comandado pelos apresentadores bolsonaristas Ana Paula Henkel, Augusto Nunes, Luís Ernesto Lacombe e Rodrigo Constantino.

Além da atração on-line, a Brasil Media House informa em seu site que administra a marca pessoal de Lacombe.

Segundo declaração à Justiça Eleitoral, as receitas da campanha de Adrilles estão orçadas em R$ 1,2 milhão até aqui. O dinheiro provém, de acordo com o sistema do TSE, do Fundo Eleitoral que foi transferido pelo PTB para a candidatura.

A campanha de Adrilles contratou R$ 2,2 milhões em despesas, segundo o TSE, mas pagou R$ 1,08 milhão até o momento.

O acerto com a produtora foi noticiado pelo Blog do Paulinho. No Twitter, Adrilles disse que a gestão financeira da campanha é feita pela empresa de publicidade. “Simples assim. Com todas as contas transparentes no TSE”, afirmou.

A Brasil Media House é administrada pelo publicitário bolsonarista João Paulo Gomes Vieira.

Postagem da empresa Brasil Media House mostra os apresentadores Augusto Nunes, Ana Paula Henkel, Luís Ernesto Lacombe e Rodrigo Constantino no Programa 4 por 4

A Jovem Pan havia demitido Adrilles no início de fevereiro, após o apresentador fazer uma saudação nazista durante transmissão ao vivo. Ele foi recontratado semanas depois pela emissora. Agora, está licenciado para fazer campanha.

Em nota enviada à coluna, Adrilles disse que “não houve repasse do recurso informado” e que “o montante publicado nem poderia ser real, pois a campanha não recebeu este valor, conforme atesta o próprio site do TRE [sic]”.

“Todas as contas estão sendo prestadas de acordo com a legislação eleitoral. O valor reportado à agência de publicidade Brasil Media House não é repasse, e sim valor de um contrato autorizando a gestão da campanha. Ou seja, a empresa administra as despesas da campanha”, disse o candidato.

O publicitário João Paulo Gomes Vieira afirmou à coluna que todos os esclarecimentos foram dados pela assessoria da campanha de Adrilles.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna