Observadora do cenário político do DF, lança luz nos bastidores do poder na capital.

Wajngarten deve deixar Secom. Almirante Rocha é cotado para o cargo

Função é considerada estratégica porque faz a interface entre o governo federal e os veículos de comunicação

atualizado 25/02/2021 16:13

Fabio Wajngarten, chefe da Secom de BolsonaroMichael Melo/Metrópoles

A área de comunicação do governo federal deve passar por mudanças nas próximas horas. Há um forte movimento ocorrendo nos bastidores para a substituição do atual secretário especial de Comunicação Social, Fabio Wajngarten (foto em destaque), por um representante da ala militar.

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, planeja nomear, em breve, o almirante Flávio Augusto Viana Rocha para o cargo, diretamente subordinado ao seu gabinete.

Apesar de não dispor do status de ministro, a função é considerada muito relevante, porque faz a interface entre o governo federal e os veículos de comunicação. Em um primeiro momento, o almirante Rocha, que hoje é secretário especial de Assuntos Estratégicos, deve acumular os dois cargos.

Nas últimas semanas, Rocha estreitou a relação com o ministro Fábio Faria. Os dois estiveram juntos em missão à Europa e à Ásia para conhecer empresas interessadas em participar do leilão da tecnologia 5G no Brasil.

Flávio Rocha é um nome próximo a Jair Bolsonaro e tem a simpatia do presidente.

O atual secretário, Fabio Wajngarten, também é uma pessoa próxima a Bolsonaro, com trânsito livre na família. Sempre foi um dos mais aguerridos escudeiros do presidente. A ele, deve ser oferecido um posto de representação da Presidência da República em São Paulo, mas ainda não é certo que ele aceite a missão.

Embora a troca seja dada como certa, até a tarde desta quinta-feira, Wajngarten não havia sido comunicado oficialmente da exoneração. Ele cumpre agenda no Rio de Janeiro.

Últimas notícias