Observadora do cenário político do DF, lança luz nos bastidores do poder na capital.

Paulo Octávio lança candidatura ao GDF com Felipe Belmonte de vice

O desembargador aposentado do TJDFT Carlos Divino Rodrigues foi anunciado como o candidato a senador na chapa

atualizado 08/08/2022 19:59

Fotografia colorida de dois homens se abraçando em palcoHugo Barreto/Metrópoles

O empresário Paulo Octávio (PSD) lançou candidatura ao Governo do Distrito Federal tendo o advogado Luís Felipe Belmonte (PSC) como vice. O desembargador aposentado do Tribunal de Justiça do DF e dos Territórios (TJDFT) Carlos Divino Rodrigues (PSD) disputará o Senado.

A decisão foi anunciada durante convenção regional do PSD-DF, na sexta-feira (5/8). Durante o evento, também foram confirmados os candidatos do partido à Câmara dos Deputados e à Câmara Legislativa do DF (CLDF).

“Para aqueles que não acreditaram: quando hoje assistirem pelas televisões a nossa festa, verão um candidato que fala firme: sou candidato e vou ganhar. Nos meus 72 anos, aceito este desafio que os amigos do partido me impõem. Da mesma forma que trabalhei a minha vida toda, eu vou dedicar os próximos quatro anos a esta cidade”, disse Paulo Octávio.

Empresário do ramo imobiliário, Paulo Octávio foi deputado federal, senador e chegou a tornar-se vice-governador em 2007, quando José Roberto Arruda foi eleito governador do DF.

Paulo Octávio, no entanto, deixou o GDF em 2010, em meio a um escândalo, quando foi acusado de integrar o maior esquema de corrupção já revelado na capital da República, que ficou conhecido nacionalmente como Caixa de Pandora.

Paulo Octávio foi acusado de corrupção ativa, corrupção passiva, formação de quadrilha e improbidade administrativa. Porém, o caso de formação de quadrilha prescreveu. E ele acabou absolvido em um dos processos sobre corrupção passiva, que tratava de uma das contratações envolvendo a empresa Linknet. As demais ações judiciais estão em andamento.

Quatro anos depois da saída do GDF, Paulo Octávio voltou aos holofotes após ser preso por suspeita de integrar esquema de corrupção de agentes públicos para a concessão de alvarás, no âmbito da Operação Átrio. Ele ficou cinco dias na cadeia.

Em janeiro deste ano, o empresário foi condenado a pagar multa de R$ 65,4 milhões por improbidade administrativa referente à emissão de autorizações para a construção do JK Shopping.

Além da multa, Paulo Octávio foi condenado à inelegibilidade por 10 anos. A decisão ainda proibiria Paulo Octávio de fechar contratos com o Poder Público.

Publicidade do parceiro Metrópoles
0

Luís Felipe Belmonte é marido da deputada federal Paula Belmonte (Cidadania), que também tenta lançar candidatura própria ao GDF em convenção partidária paralela. O partido ao qual Paula é filiada fechou federação com o PSDB, que tem o senador Izalci Lucas como candidato a governador.

No início do mês de julho de 2022, o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), abriu inquérito para investigar se o casal Belmonte teria ajudado a financiar suposta “organização criminosa” criada por rede de aliados do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para propagar discursos antidemocráticos.

O advogado foi um dos apoiadores de Bolsonaro que tentaram, sem sucesso, fundar o partido Aliança pelo Brasil. Em 2020, a casa de Felipe Belmonte foi alvo de operação da Polícia Federal (PF) contra atos antidemocráticos.

Em 2017, Felipe Belmonte foi acusado pelo Ministério Público Federal (MPF) de cometer corrupção ativa e lavagem de dinheiro por suspeita de pagar propina de R$ 800 mil ao ex-desembargador Vulmar de Araújo Coelho Júnior, do Tribunal Regional do Trabalho da 14ª Região, em Rondônia.

Segundo a denúncia, o valor foi repassado por meio da compra de um imóvel do desembargador por R$ 1,2 milhão — desse total,  R$ 800 mil seriam referentes à liberação de precatórios que beneficiariam clientes de Belmonte.

Mais lidas
Últimas notícias