Observadora do cenário político do DF, lança luz nos bastidores do poder na capital.

MPDFT investiga nomeação de parentes do distrital Jorge Vianna

Denúncia cita que ao menos sete pessoas da Administração Regional de Samambaia têm laços familiares com o deputado, que nega irregularidades

atualizado 09/01/2020 9:16

JP Rodrigues/Metrópoles

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) investiga se há irregularidades na nomeação de parentes do deputado distrital Jorge Vianna (Podemos) na Administração Regional de Samambaia.

Segundo a denúncia feita ao MPDFT, haveria pelo menos sete familiares do parlamentar no órgão e um no Complexo Cultural de Samambaia. Vianna confirmou à coluna ser parente de três.

Nomeada como coordenadora de Desenvolvimento da Administração Regional de Samambaia em 11 de junho de 2019, Maria Josilene Viana é prima do distrital.

Assessor especial desde 21 de janeiro de 2019, Reinaldo Felix de Araújo Leite é cunhado de Vianna.

Outro cunhado do deputado, Carlos Alberto de Oliveira é chefe de gabinete desde 12 de fevereiro de 2019.

Do trio, Carlos Alberto é o único concursado do GDF: ele é auxiliar de educação e foi requisitado à pasta de origem pela administração.

Vianna disse que os três foram nomeados e continuam nos cargos por méritos próprios. “Carlos Alberto é diretor do SAE [Sindicato de Auxiliares de Educação] e chefe de gabinete há muito tempo. Ele mora em Samambaia e é casado com a minha irmã”, afirmou.

“O Reinaldo Felix, outro cunhado, também mora em Samambaia. É extremamente competente. A Josilene Viana é minha prima e uma pessoa gabaritada. O restante não é parente”, acrescentou o deputado.

Ainda de acordo com o distrital, todos têm as suas carreiras e atribuições específicas para os cargos que ocupam. “Pelo fato de morarem em Samambaia e serem competentes, estão lá fazendo o trabalho deles”, comentou.

“Pessoas ligadas aos deputados não podem ser penalizadas a nunca ter um cargo público. O Carlos Alberto, por exemplo, é um líder sindical que conseguiu sua notoriedade com meios próprios. Será que ele nunca vai poder ser alguma coisa porque é meu cunhado?”, questionou.

Na avaliação do deputado, não há irregularidade nesse caso. “As nomeações são feitas pelo administrador regional, que é do Poder Executivo. Portanto, não há crime”, afirmou Vianna, ressaltando que não foi ele que indicou o administrador de Samambaia, Gustavo Aires.

No MPDFT, a apuração é conduzida pela 4ª Promotoria de Justiça Regional de Defesa dos Direitos Difusos (Proreg).

Procurada pela coluna, a Administração Regional de Samambaia não quis se manifestar sobre o assunto.

Michael Melo/Metrópoles
Administração Regional de Samambaia

Últimas notícias