Observadora do cenário político do DF, lança luz nos bastidores do poder na capital.

Juiz do DF dá 15 dias para Piquet explicar fala racista e homofóbica

Entidades entraram com ação na Justiça do Distrito Federal contra Nelson Piquet e pedem indenização de R$ 10 milhões

atualizado 11/07/2022 18:43

Nelson Piquet Charles Coates/Getty Images

A 20ª Vara Cível de Brasília deu 15 dias para que o ex-piloto de Fórmula 1 Nelson Piquet apresente contestação no processo em que é acusado por fazer comentários racistas e homofóbicos.

Piquet se referiu ao campeão de F1 Lewis Hamilton como “neguinho” e falou que ele deveria estar “dando mais o c*”, em referência homofóbica.

“O Keke? Era um bosta, não tinha valor nenhum. É que nem o filho dele (Nico Rosberg). Ganhou um campeonato. O neguinho devia estar dando mais c… naquela época, aí tava meio ruim”, afirmou o brasileiro, dando risada.

Piquet também foi homofóbico contra Hamilton: “Devia estar dando o c*”

Após fala racista de Nelson Piquet, PL muda nome de autódromo no DF

A Aliança Nacional LGBTI, Centro Santo Dias de Direitos Humanos, Francisco de Assis: Educação, Cidadania, Inclusão e Direitos Humanos e a Associação Brasileira de Famílias Homotransafetivas são os autores da ação contra Piquet, na Justiça do Distrito Federal.

As entidades pedem que o ex-piloto seja condenado a pagar indenização de R$ 10 milhões por danos morais coletivos e sociais.

Na decisão publicada nesta segunda-feira (11/7), o juiz Felipe Costa da Fonseca Gomes disse que “as circunstâncias da causa revelam ser improvável um acordo nesta fase embrionária”. Por isso, não marcou audiência de conciliação neste momento.

Nota

Após uma série de críticas por conta do vídeo em que aparece usando um termo racista para se referir ao piloto Lewis Hamilton, Nelson Piquet divulgou uma nota oficial nesta quarta-feira (29/6) se retratando sobre o acontecido. No comunicado, o brasileiro afirmou que a palavra foi traduzida de forma incorreta.

“Peço desculpas de coração a todos que foram afetados, incluindo Lewis, um incrível piloto, mas a tradução em alguns veículos, agora circulando nas redes sociais, é incorreta. Não há lugar para discriminação na F1 ou na nossa sociedade, e estou contente em esclarecer o que quis dizer a esse respeito”, afirmou.

Mais lidas
Últimas notícias