Observadora do cenário político do DF, lança luz nos bastidores do poder na capital.

Ibaneis decreta lockdown no DF a partir de segunda-feira

"Vamos fechar tudo, exceto serviços essenciais, das 20h às 5h", disse o governador

atualizado 25/02/2021 23:07

IBANEIS rochaGustavo Moreno/Especial para o Metrópoles

O governador Ibaneis Rocha decidiu decretar lockdown no Distrito Federal a partir de segunda-feira (1°/3), devido à pandemia de Covid-19.”Vamos fechar tudo, exceto serviços essenciais, das 20h às 5h”, disse à coluna, na noite desta quinta-feira (25/2). Portanto, as demais atividades seguem autorizadas a funcionar fora do horário determinado.

“Estamos com 92% de UTIs ocupadas e vamos tomar as providências aos poucos, na medida do que for necessário. Por enquanto, essas são as providências urgentes”, afirmou o governador.

Os servidores que não forem de serviços essenciais ficarão em home office.

Mais cedo, Ibaneis afirmou que decretaria a medida caso as novas variantes mais agressivas e contagiosas do coronavírus passassem a ter transmissão comunitária no Distrito Federal.

Até o momento, não foram confirmadas transmissões dessas variantes. Contudo, com a taxa de ocupação de leitos de unidades de terapia intensiva (UTIs) se aproximando dos 100%, o governador decidiu antecipar a medida.

À tarde, o emedebista se reuniu com prefeitos do Entorno, em busca de um alinhamento na batalha contra a pandemia de Covid-19.

“Essas novas variantes estão se disseminando pelo país. A gente já sabe que elas existem e são bem mais graves. A gente tem conversado com os técnicos da Secretaria de Saúde e, eles, por sua vez, [têm conversado] com o pessoal do ministério [da Saúde]”, comentou Ibaneis.

A média móvel de mortes por Covid-19 no Distrito Federal subiu para 11 nesta quinta. Na comparação com o indicador apurado há 14 dias, houve crescimento de 8,5%.

Desde o início da pandemia de coronavírus, o DF já notificou 293.782 contaminações e 4.805 óbitos em decorrência da doença. Nas últimas 24 horas, foram 14 mortes e 1.068 novas infecções.

Mais lidas
Últimas notícias