Observadora do cenário político do DF, lança luz nos bastidores do poder na capital.

GDF identifica donos de 234 caminhões em protesto no QG do Exército. Veja quem são

A pedido do ministro do STF Alexandre de Moraes, a Secretaria de Segurança Pública listou os caminhões que participam de manifestação no QG

atualizado 17/11/2022 9:19

Caminhões de apoiadores do presidente derrotado Jair Bolsonaro chegam adornados com bandeiras do Brasil no QG do Exército, em Brasília - Metrópoles Marcus Rodrigues/Metrópoles

O Governo do Distrito Federal, por meio da Secretaria de Segurança Pública (SSP), identificou os proprietários de 234 caminhões que participam do protesto em frente ao QG do Exército, em Brasília.

O levantamento foi feito em cumprimento a uma decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes. Ele determinou que a Polícia Militar dos estados e do DF envie informações sobre os caminhões e demais veículos que participaram ativamente de bloqueios de vias e das manifestações em frente aos quartéis das Forças Armadas.

Em lista obtida pela coluna Grande Angular, a SSP-DF reuniu as placas dos caminhões, o modelo, a marca, a unidade da Federação de onde são, além do nome e do CPF, ou CNPJ, do proprietário.

Muitos desses veículos pertencem a empresas que são ligadas ao agronegócio e enviaram mais de um caminhão. Todos os dados foram entregues ao STF.

O Comércio e Transporte Comelli Ltda., de Goiás, tem sete caminhões posicionados nas proximidades do QG do Exército, por exemplo. Além de transporte de carga, a empresa registrou a extração de madeira como atividade econômica na Receita Federal.

A Vape Transportes Ltda., de Mato Grosso, também deslocou sete veículos para o local. A Sipal Indústria e Comércio Ltda., do Paraná, enviou o mesmo número de caminhões.

Veja a lista completa:

Caminhões QG do Exército by Metropoles

Manifestação

Cidadãos que não aceitam o resultado da eleição para presidente da República protestam em frente a unidades do Exército desde 30 de outubro de 2022. Eles pedem “intervenção federal” e “socorro” às Forças Armadas.

Em Brasília, um grupo montou acampamento na Praça dos Cristais, que fica em frente ao QG do Exército.

 

Mais lidas
Últimas notícias