Observadora do cenário político do DF, lança luz nos bastidores do poder na capital.

Fadi Faraj diz que saiu do PTB antes de expulsão: “Hospício. É casa de doido, e não de patriota”

Na quarta-feira (6/10), o PTB anunciou expulsão de Fadi Faraj, Cristiane Brasil e Oswaldo Eustáquio

atualizado 08/10/2021 11:41

Fadi FarajMichael Melo/Metrópoles

Pastor e ex-presidente regional do PTB no Distrito Federal, Fadi Faraj disse que renunciou à presidência local do partido e pediu a desfiliação da sigla antes do processo de expulsão, anunciado pela nova chefia nacional nesta semana.

“Esse processo [de expulsão] só acontece depois que eu faço um vídeo, me desfilo na terça-feira pela manhã e eles depois querem me expulsar. Eu já saí desse hospício. É casa de doido, não é de patriota coisa nenhuma”, afirmou, em entrevista ao canal de Aryane Garcia, no YouTube, nesta sexta-feira (8/10).

Fadi Faraj disse que depois da prisão de Roberto Jefferson, por meio de decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, soube da destituição do diretório regional no DF por notícias na internet. Segundo o ex-presidente do PTB-DF,  o ato foi feito com a chave eletrônica que pertence a Jefferson, quando ele já estava na prisão.

“Esse ato foi feito através de uma chave eletrônica do Roberto Jefferson, coitado, que está preso injustamente. O token é uma chave pessoal e intransferível. Usaram a chave de uma pessoa presa, o que é um crime. A Justiça vai lidar com isso. Quem foi que usou? Reclamam de questões antidemocráticas, falam de ministros que agem de forma pesada, mas fazem a mesma coisa”, afirmou.

Na quarta-feira (6/10), o PTB anunciou a expulsão da filha de Roberto Jefferson, a ex-deputada Cristiane Brasil, de Fadi Faraj e do blogueiro Oswaldo Eustáquio. No comunicado, o partido afirmou ainda que os dois últimos “responderão por denunciação caluniosa após disseminação de fake news sobre o partido, em especial, contra a vice-presidente Graciela Nienov”.

Fadi Faraj disse que nunca recebeu salário pelo partido e afirmou que o PTB “tem problema de excesso de uso de dinheiro”.

Também presente na entrevista, o blogueiro Oswaldo Eustáquio mostrou notas fiscais de gastos da atual chefe do PTB, Graciela Nienov, com alimentação e contrato de comunicação. “É a farra das loiras”, disse.

Em agosto, Roberto Jefferson foi preso no âmbito do inquérito das milícias digitais. Foi o líder do partido que oficializou a posse de Farid Faraj no diretório regional do DF, em junho deste ano.

Últimas notícias