PTB confirma expulsão de Cristiane Brasil, Fadi Faraj e Oswaldo Eustáquio

No comunicado, a sigla afirmou que Fadi Faraj e Oswaldo Eustáquio "responderão por denunciação caluniosa após disseminação de fake news"

atualizado 06/10/2021 23:33

PTB/Reprodução

O Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) usou o Twitter, na noite desta quarta-feira (6/10), para anunciar a expulsão da filha do próprio Roberto Jefferson , a ex-deputada Cristiane Brasil, do pastor Fadi Faraj e do blogueiro Oswaldo Eustáquio.

No comunicado, a sigla afirmou ainda que os dois últimos “responderão por denunciação caluniosa após disseminação de fake news sobre o partido, em especial, contra a vice-presidente Graciela Nienov.”

Veja:

Sobre Faraj, o PTB ressaltou que a decisão foi “impulsionada pelas recorrentes manifestações inverídicas criadas e incentivadas por ele contra a instituição política e seus integrantes. Além disso, o pastor fomentou a disseminação de fake news em vídeos e publicações em blogs locais, no qual espalha calúnias relacionadas à conduta da legenda, fato constituído como crime. Ademais, Faraj utilizou das redes institucionais do PTB do DF para tais atos”.

Como adiantado pelo Metrópoles, as medidas foram feitas diante da possibilidade da filiação de Jair Bolsonaro. “Isso é para dizer ao presidente: olha, nosso partido está limpo e não tem nada de polêmica. É só trabalhar o nome dele e reconduzir ele à cadeira de presidente”, disse ao Metrópoles a presidente em exercício do PTB, Graciela Nienov. Ela assumiu a presidência do partido no lugar de Roberto Jefferson, que está preso desde agosto no quadro do inquérito tocado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) que investiga milícias digitais e ataques à democracia.

Ela sustenta que a situação da filha de Roberto Jefferson já estava ruim, porque tinha batido batido de frente com o pai e já havia perdido a presidência do partido no Rio. “Já vinha essa indisposição dentro do partido”, explica Graciela.

No caso do pastor Fadi Faraj, a presidente em exercício alega que ele quis “tornar o partido [uma] igreja”. Na semana passada, Faraj conseguiu na Justiça uma liminar reconduzindo-o ao comando do PTB no Distrito Federal. Ele estava afastado desde 31 de agosto deste ano, quando Graciela Nienov decidiu por sua destituição. A presidência nacional do PTB terá 15 dias para se manifestar sobre o tema.

Por fim, no caso do blogueiro bolsonarista, Graciela explica que Eustáquio comprou uma briga com a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, e teria tentado envolver o partido no conflito pessoal. Ele disse que virou alvo da ministra após denunciar corrupção na pasta.

Eustáquio alega que Damares ameaçava constantemente demitir sua esposa de uma das principais secretarias do ministério. Segundo ele, as ameaças começaram após ele denunciar atos de corrupção dentro da pasta, além de um suposto caso com um homem casado mantido pela ministra.

“A ministra Damares é uma mulher honrada, correta, e ele quis envolver o PTB nessa briga”, critica Graciela.

Últimas notícias