Observadora do cenário político do DF, lança luz nos bastidores do poder na capital.

Ex-patrão de Lázaro tornou-se advogado da família do foragido: defensor negocia rendição

Wesley Lacerda empregou a mãe e o padrasto de Lázaro, e agora tenta a rendição do assassino. O advogado é cunhado do delegado-geral da PCDF

atualizado 26/06/2021 12:08

Lázaro BarbosaArte/Metrópoles

Um advogado do Distrito Federal tenta contato com o foragido Lázaro Barbosa, 32 anos, para negociar a rendição do maníaco procurado pela polícia há 16 dias. Wesley Lacerda se colocou no papel de possível mediador porque tem uma relação com a família de Lázaro anterior à caçada que conta com 270 policiais em busca do criminoso.

Lacerda é dono de uma fazenda de produção de gado de corte, em Cocalzinho de Goiás, onde Lázaro, a mãe dele, Eva, o padrasto, Léin, além do irmão de Léin, Jó, trabalharam. Como mostrou a coluna Grande Angular, essa fazenda pertence a familiares da esposa do delegado-geral da Polícia Civil do DF (PCDF), Robson Cândido. Wesley Lacerda é cunhado do delegado-geral, que colocou policiais e equipamentos à disposição da megaoperação de busca pelo homem.

Em entrevista à coluna, o advogado Wesley Lacerda contou que Lázaro prestou serviços temporários no local, fazendo a limpeza do pasto durante uma semana e, posteriormente, por aproximadamente um mês, em meados de 2018.

A essa altura, Lázaro já tinha uma extensa ficha criminal, com condenações por homicídios. O advogado explicou que, em razão da contratação ser temporária e das referências dos familiares, que sempre se mostraram honestos, não procurou o histórico do trabalhador.

O advogado disse que não tem nenhuma queixa contra a mãe e o padrasto de Lázaro, que trabalharam na fazenda em dois momentos diferentes, desde 2017. “Durante todo o tempo em que trabalharam lá, se mostraram honestos e nunca tive nenhum problema com eles enquanto funcionários”, afirmou.

Eva e Léin decidiram deixar a fazenda em Goiás e voltar para a Bahia após Lázaro cometer a chacina em Ceilândia, na qual matou quatro pessoas da mesma família. “Uma semana antes do crime, a polícia tinha ido umas três ou quatro vezes na fazenda. Depois do crime, a polícia chegou a ir de três a quatro vezes no mesmo dia, e a dona Eva, se sentindo pressionada, resolveu junto ao marido pedir a demissão e voltar para a Bahia”, contou Lacerda.

Advogado Wesley Lacerda
O advogado Wesley Lacerda representa a família de Lázaro e está disposto a negociar possível rendição do criminoso foragido há 16 dias

Após a intensificação das buscas por Lázaro no Entorno do Distrito Federal, a mãe mostrou-se preocupada com a possibilidade de o filho não sobreviver. Eva, então, conversou com o advogado e ex-patrão, buscando auxílio profissional. Lacerda disse que representa a mãe de Lázaro e a esposa dele na possível rendição do criminoso.

“A minha intenção é que acabe a perseguição. Os meus vizinhos e familiares estão com medo e não estão indo para as fazendas. A minha pretensão é de pôr fim a essa busca e, também como advogado que sou, entendo o sentimento da mãe, que está em um sofrimento grande de ver essa caçada contra o filho. A gente conversou e me coloquei à disposição para intermediar uma possível rendição dele para que ele se entregue e seja garantida, no mínimo, a integridade física”, afirmou.

O advogado contou à coluna que, junto da esposa de Lázaro, enviou mensagens de WhatsApp para o foragido há três dias, pedindo que ele retornasse o contato para que a intermediação de rendição dele fosse feita com segurança.

“Eu mandei mensagem junto com a esposa dele pedindo que se ele, de alguma forma escutasse as mensagens, nos procurasse para a gente intermediar e garantir a entrega dele com vida para que a Justiça julgue ele. Essas mensagens foram enviadas há uns três dias. Foram mensagens de WhatsApp e ele sequer recebeu, não tem acessado os telefones. Esse é o único meio que a família teve contato com ele e foi o meio que a gente conseguiu para tentar falar com o Lázaro”, afirmou.

Segundo o advogado, se Lázaro der algum sinal, será o início da negociação. “Se ele estabelecer contato e dizer que vai se entregar, vou entrar em contato com o poder público e ver as condições de entrega e como será feita. Até o momento, não procurei a polícia porque seria em vão. A partir do momento que a gente conseguir estabelecer contato com ele, se isso acontecer, vou procurar o poder público para realizar essa entrega”, pontuou.

Ao resumir o sentimento da mãe e da esposa de Lázaro neste momento, Lacerda disse que é “um desespero sem fim”: “Está todo mundo desejando que Lázaro se entregue. Essa é a vontade de todos, não só da população em geral, mas da família. A mãe e a esposa querem que ele se entregue e sabem que a única possibilidade de ele se manter vivo é se entregando”.

Lázaro é suspeito de matar uma família no DF, balear quatro pessoas, entre elas um policial, e cometer uma série de assaltos com reféns durante a sua fuga em Goiás. Ele está foragido há 16 dias.

Veja imagens das buscas de Lázaro:

0

 

 

Últimas notícias