Observadora do cenário político do DF, lança luz nos bastidores do poder na capital.

Após denúncias, CRM vai vistoriar HRG e poderá interditar hospital

O Conselho Regional de Medicina do DF fará vistoria no Hospital Regional do Gama (HRG) na próxima segunda-feira (16/8)

atualizado 10/08/2021 18:24

Médicos denunciam lotação de 200% e déficit de profissionais no HRG Material cedido ao Metrópoles

O Conselho Regional de Medicina do Distrito Federal (CRM-DF) confirmou as condições inadequadas de trabalho e de assistência à população no Hospital Regional do Gama (HRG). Um grupo de 19 médicos e o Sindicato dos Médicos do DF (SindMédico-DF) denunciaram irregularidades no HRG.

Presidente do CRM-DF, Farid Buitrago disse à coluna Grande Angular, nesta terça-feira (10/8), que o conselho tem conhecimento, por meio de queixas de profissionais, sobre a existência de “condições inadequadas de trabalho, o que gera desassistência dos pacientes que procuram aquela unidade hospitalar”.

O CRM-DF fará vistoria no Hospital Regional do Gama na próxima segunda-feira (16/8). Segundo o presidente da entidade, se for constatado que o HRG não cumpre os requisitos mínimos necessários ao atendimento adequado aos pacientes, o conselho fechará a instituição.

“Interdição ética significa fechamento da unidade para reestruturação e adequação do atendimento à população. Não queremos chegar nessa medida extrema. Queremos que a Secretaria de Saúde tome providências o mais rápido possível, para evitar passar por uma interdição ética da unidade de saúde, o que prejudicaria ainda mais a população”, disse.

Recentemente, o CRM-DF fez uma vistoria no HRG e constatou que faltam recursos humanos no hospital, segundo Buitrago. “Os profissionais que se encontram naquela unidade trabalham sobrecarregados e não dão conta de atender à crescente demanda de pacientes que procuram o hospital. Isso gera problemas assistenciais e, muitas vezes, os pacientes ficam desassistidos”, destacou.

Confira trecho da declaração do presidente do CRM-DF:

O SindMédico-DF pediu ao CRM-DF a interdição do HRG, em função dos problemas considerados graves e dos “indícios de mortes evitáveis de pacientes”.

Após reunião com participação da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional do DF (OAB-DF), o SindMédico-DF enviou o pedido de interdição para o CRM-DF, na segunda-feira (9/8). “Ficou confirmada a situação caótica daquele hospital, inclusive com ocorrência de óbitos evitáveis”, informou o presidente do sindicato, Gutemberg Fialho.

“Condições desumanas”

Na semana passada, a coluna Grande Angular revelou que um grupo de 19 médicos assinou um documento no qual alerta para a situação precária de trabalho e de atendimento no HRG.

Os servidores descrevem, por exemplo, que os pacientes são submetidos a “condições desumanas”. Alguns já ficaram até 120 horas sem qualquer avaliação médica, mesmo estando internados, segundo os médicos, “o que reflete o gritante desequilíbrio entre servidores e demanda populacional”.

“É triste e realmente inaceitável a realidade enfrentada pelos usuários citados que, muitas vezes, chegam ao pronto-socorro do HRG e não conseguem atendimento. Pior ainda a realidade dos que vencem a barreira da porta e são internados para se depararem com condições tão precárias a ponto de não terem avaliação e/ou prescrição diárias”, escreveram.

Mais lidas
Últimas notícias