Este é um espaço para celebrar a vida e as pessoas. Viaje comigo nesta aventura!

“Pitizento”? Rei Charles gera fúria ao demitir dezenas de funcionários

O jornal britânico The Guardian revelou a notícia da demissão e detalhes da carta enviada aos colaboradores reais

atualizado 14/09/2022 11:09

WPA Pool/Getty Images

O reinado de Charles III não tem uma semana e, desde então, o soberano tem protagonizado inúmeras manchetes com polêmicas. Conforme publicou o jornal britânico The Guardian nessa terça-feira (13/9), 100 colaboradores da Clarence House, ex-residência oficial do novo monarca, foram informados de que deverão deixar em breve os cargos profissionais quando ele e a esposa, a rainha consorte Camilla Parker, se mudarem para o Palácio de Buckingham, sede da monarquia.

Os empregados trabalhavam para o novo soberano enquanto ele atuava como príncipe. Os profissionais receberam o aviso da demissão por meio de cartas. A mensagem trazia que os serviços dos colaboradores não serão mais necessários. No recado, consta que as equipes receberão ajuda da Coroa britânica para encontrar novos empregos. Ao lerem a respeito da demissão, os colaboradores ficaram enfurecidos, segundo o jornal The Guardian.

“Todos estão furiosos, incluindo os secretários particulares e a equipe de comando. Todo o pessoal tem trabalhado muito desde a noite de quinta-feira [quando a rainha Elizabeth II morreu] para se deparar com isso. As pessoas estão muito alteradas”, confidenciou um informante não identificado ao jornal britânico.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
0

Serão afetados com a demissão os secretários particulares, o gabinete financeiro, a equipe de comunicação e os empregados domésticos. De acordo com o portal, alguns colaboradores trabalhavam há anos para Charles. Parte dos profissionais soube da notícia durante a cerimônia em homenagem à rainha na Catedral de São Egídio, na capital escocesa de Edimburgo, na segunda-feira (12/9).

Rei Charles III dá novo “piti” ao tentar usar caneta: “Odeio isso”

O The Guardian teve acesso à carta enviada ao funcionários. O documento traz explicações do principal assessor do rei, Clive Alderton. “A carteira de trabalho anteriormente ocupada por esta residência em apoio aos interesses pessoais do príncipe de Gales, antigas atividades e operações domésticas deixarão de ter continuidade, e a Clarence House será fechada. Espera-se, portanto, que os postos baseados principalmente na Clarence House deixem de ser necessários”, destacou.

Em nota, o Sindicato dos Serviços Públicos e Comerciais condenou a decisão de anunciar os cortes de pessoal durante o período de luto. Chamaram a atitude do rei de “sem coração”.

rei charles III faz primeiro pronunciamento
Primeiro discurso televisionado de Charles III para a nação

Para saber mais, siga o perfil da coluna no Instagram

Mais lidas
Últimas notícias