Este é um espaço para celebrar a vida e as pessoas. Viaje comigo nesta aventura!

Halston: conheça as festas épicas do estilista no Studio 54

O assunto do momento é a série da Netflix sobre o estilista Halston. Descubra detalhes de seus tempos de festas barulhentas no Studio 54

atualizado 24/05/2021 19:10

Liza Minnelli, Elizabeth Taylor, Halston and Betty Ford at Studio 54 circa 1979 in New York CityRobin Platzer/Images/Getty Images

Uma nova série que entrou para o catálogo da Netflix está dando o que falar. Intitulado Halston, o lançamento conta a história do estilista norte-americano Roy Halston Frowick, que, de fama internacional e no topo da moda nos anos 1970, passou por um colapso financeiro, pela perda de seu próprio nome e por uma doença que tirou sua vida.

Enquanto o mundo revive a história da estrela, vale conhecer um pouco mais sobre a vida festeira e glamorosa do estilista. Ele cultivava amizades com Liza Minelli, Elsa Peretti, Bianca Jagger e Anjelica Huston, por exemplo, além de um grupo de top models favoritas, como Pat Cleveland, Beverly Johnson, Alva Chinn, Karen Bjornson e Pat Ast.

David Geffen, Halston, Yves Saint Laurent, Steve Rubell, Nan Kempner e Fernando Sanchez
David Geffen, Halston, Yves Saint Laurent, Steve Rubell, Nan Kempner e Fernando Sanchez

O site Town&Country abordou pessoas próximas de Halston para descobrir lembranças dos tempos de festas barulhentas no Studio 54, de sua famosa casa e dos jantares íntimos, como também conhecer o lado generoso e sensível do estilista.

Confira!

Bob Colacello, ex-editor da Interview, contribuidor da Vanity Fair e biógrafo de Andy Warhol:

“A primeira vez que o vi não foi muito depois de começar a trabalhar na Interview com Andy Warhol. Andy e Fred Hughes [empresário de Warhol] me levaram a uma festa na casa de Joe Eula, que era o grande ilustrador, um amigo muito próximo de Halston e uma espécie de conselheiro. Halston estava sentado em um canto da sala com uma blusa de gola alta preta, calça preta, um grande lenço vermelho longo enrolado em seu pescoço e ombros, meio que dramáticos, e fumando um cigarro. Ele sentou-se onde estavam Marisa Berenson, Loulou de la Falaise e todas essas glamorosas garotas, como Elsa Peretti, Marina Schiano. Eu estava tão intimidado. Ele parecia o que um estilista nova-iorquino deveria parecer e agir, como em algum filme dos anos 1940”, comentou ao Town&Country.

Designer Halston chega à festa de reinauguração do Studio 54 em Nova York, em 1978
Designer Halston chega à festa de reinauguração do Studio 54 em Nova York, em 1978

“A casa era como nenhuma outra em Nova York. Era uma das poucas casas particulares construídas em Manhattan após a Segunda Guerra Mundial. Então, você estava em uma enorme sala de estar com altura tripla que dava para os fundos, onde havia apenas uma estreita faixa de jardim que era toda composta de bambu. Tinha cerca de um metro e oitenta de profundidade, no máximo. Não era um jardim em que você se sentava, era apenas uma parede de vidro, e você veria os brotos de bambu”, disse.

“Havia uma escada sem corrimão, os degraus eram flutuantes. Lembro-me da noite em que Diana Vreeland estava subindo aquela escada, que ficamos com tanto medo de que ela tombasse. Isso te levava a essa varanda no mezanino, que era meio que sobre a cozinha, que ficava toda no fim da rua da casa e tinha quartos lá em cima. A varanda era muito dramática… Tenho uma fotografia que tirei de Pat Cleveland e Sterling St. Jacques usando orelhas de coelho e dançando naquela varanda. Foi perfeito para apresentações. Era uma casa muito dramática, realmente feita para entreter. Era uma espécie de minimalismo de alto estilo. Foi único”, completou.

“Nós nos reuníamos na casa dele antes de ir para o [Studio] 54 ou antes de ir a um baile de gala da Martha Graham e ele dar vestidos para as garotas…”, observou.

“Olhando para trás, foi uma época tão louca para realmente ver Martha Graham, a primeira-dama Betty Ford ou Doris Duke sentadas, em uma das banquetas de flanela cinza, como as três graças, enquanto Victor Hugo, em seu macacão, andava passando cocaína por aí. Nunca houve outra coisa assim que eu tenha conhecido”, descreveu.

Betty Ford e Martha Graham no Studio 54, em Nova York
Betty Ford e Martha Graham no Studio 54, em Nova York

Paul Wilmot, ex-chefe da Paul Wilmot Communications e funcionário de Halston:

“Halston era um homem muito grande. Ele tinha mãos muito grandes. Ele poderia ter sido um atleta. Ele sempre se manteve em ótima forma, impecavelmente preparado e tudo mais, mas Halston era uma figura imponente. Quando você o via, você nunca se esquecia de que o viu. O cara veio de Indiana, trabalhou em Chicago, mudou-se para Nova York. Ele foi uma invenção total, em termos de glamour e estilo”, declarou.

“As pessoas falam sobre Halston e o Studio 54 como eles eram sinônimos um do outro. O Studio 54 realmente só existia naquela encarnação, com Steve Rubell e Ian Schrager, antes de eles entrarem em apuros [por crimes financeiros que levaram à sua prisão] e tudo mais, foi algo em torno de 18 meses. Não foram nem três anos. Aqui o Halston teve uma carreira que durou 25 ou 30 anos e, claro, é muito mais interessante ver as coisas da festa com a Bianca e o cavalo branco”, relembrou.

Atriz e modelo Bianca Jagger em uma festa no Studio 54, em 1997
Atriz e modelo Bianca Jagger em uma festa no Studio 54, em 1997

R. Couri Hay, publicitário e escritor:

“Eu me lembro de ir às festas. Era glamoroso. Halston era muito legal, porque, a essa altura de 1974, éramos amigáveis, mas não era um relacionamento romântico. A essa altura, Victor Hugo já havia aparecido com sua correia atlética — muito vulgar e bem na sua cara. Foi tudo meio louco e admiro por isso, mas não ia tentar competir com isso. Nesse ponto, virei para a direita e ele para a esquerda. Acho que foi quando as drogas começaram”, revelou.

Liza Minnelli e Halston no Studio 54, em 1982
Liza Minnelli e Halston no Studio 54, em 1982

“Devo dizer que Halston, quando o conheci bem, não era um grande bebedor. Não havia absolutamente nenhuma droga. Eu não acho que Halston me ofereceu cocaína até os dias no Studio 54. Lembro porque ele disse: ‘Vou te dar uma boa coca’. Eu disse: ‘O que você quer dizer?’ Ele disse: ‘Bem, no meu bolso esquerdo, guardo a coca ruim para as pessoas de quem não gosto. No bolso direito, guardo a coca boa’”, revelou.

Pat Cleveland, modelo:

“Ele sempre amou aquele jazz suave… Em seu primeiro ateliê, tinha todos os tipos de plantas, mas ele possuía uma mesa redonda toda coberta de orquídeas exóticas. Foi como se ele entrasse em uma selva e nossos dias fossem passados ​​neste belo ambiente que ele criou”, lembrou.

“Fui eu que o levei ao Studio 54 pela primeira vez, antes mesmo de abrirem. Steve Rubell era meu amigo e saíamos para comprar flores de manhã. E ele disse, ‘bem, por que você não traz alguns de seus amigos?’ E Halston enviou um cartão e disse: ‘vamos jantar juntos’. Eu disse: ‘Vou te levar a algum lugar e você vai vir e vai dançar’. Ele diz: ‘Eu não danço’. Eu disse: ‘Bem, você vai dançar esta noite’. Então fomos ao Studio 54 e ele começou a dançar comigo, se divertiu tanto que convidou todos os seus amigos para voltar”, afirmou.

Bianca Jagger, Steve Rubell, Halston e Liza Minnelli no Studio 54
Bianca Jagger, Steve Rubell, Halston e Liza Minnelli no Studio 54

“Suas festas eram muito particulares… Alguns outros artistas iam à sua casa e ele jantava e todos nós sentávamos e ríamos e bebíamos vinho e champanhe. Mohammed [Soumaya], seu cozinheiro [e assistente residente], fazia ensopado de cordeiro para nós, comida marroquina. Marisa e Berry Berenson estariam lá. E o pai de Tony Perkins e Liza, Vincente Minnelli. Nós todos apenas nos vestíamos e íamos para lá”, citou.

“Então Liza se levantava e cantava para Halston. Elizabeth Taylor estaria na parte de trás, apenas espalhando perfume. Oh, foi muito divertido. Ele simplesmente amava muito as mulheres”, celebrou.

Elizabeth Taylor com Liza Minnelli, Halston e Betty Ford no Studio 54, em 1977
Elizabeth Taylor com Liza Minnelli, Halston e Betty Ford no Studio 54, em 1977

Alana Stewart, modelo:

“Sua casa, claro, era absolutamente linda e com um gosto tão fabuloso, e ele sempre tinha uma comida excelente. Era sempre um grupo pequeno [para jantares]. Geralmente era eu, Bianca, Andy Warhol e Bob Colacello. Às vezes Liza estava lá, Calvin Klein, às vezes Steve Rubell, eles se tornaram amigos muito próximos. Ele foi um anfitrião maravilhoso. Ele simplesmente tinha uma doçura e uma bondade sobre ele. Você simplesmente o amava. Você não poderia não gostar dele”, defendeu.

Alana Hamilton Stewart e Egon Von Furstenberg em uma festa no Studio 54
Alana Hamilton Stewart e Egon Von Furstenberg em uma festa no Studio 54

“Eu fui para Nova York e Halston e Bianca [Jagger] me pegaram no meu hotel e fomos jantar no Pearl’s. Então, ir ao Pearl’s para comer comida chinesa no domingo à noite era um grande negócio. Eles estavam me dizendo que tinham acabado de ir para a inauguração de um novo clube, o Studio 54. Eles disseram: ‘Acho que abre à noite, você quer ir ver?”, falou.

“Depois disso, toda vez que eu ia para Nova York, ligava para eles e sempre jantávamos no Halston e acabávamos indo ao 54. Era muito divertido. Todos estavam de ótimo humor. Halston sempre foi tão gentil e generoso e sempre jantávamos em sua casa. Lembro que ele me deu um jantar de aniversário uma vez e me deu um lindo vestido de chiffon branco pérola. Parecia algo dos anos 20”, comentou.

0

Para saber mais, siga o perfil da coluna no Instagram.

Últimas notícias