Vinhos e fetiches: saiba o que inspirou o formato das taças

Os seios femininos foram base para a criação dos recipientes utilizados na hora de apreciar a bebida

Vinícius Santa Rosa/MetrópolesVinícius Santa Rosa/Metrópoles

atualizado 28/08/2019 16:26

Baco era o deus do vinho, da diversão e das festas. Em uma certa época, desceu do Olimpo e, em suas caminhadas, conheceu uma bebida revigorante e estimulante: o vinho.

Quando apresentou o vinho ao seu pai, o poderoso Zeus, este o apreciou imensamente, mas logo perguntou: “E de onde vamos sorver tão nobre bebida?”. Ao que Baco prontamente respondeu: “Hããããã…. Pergunta para o Apolo”.

Zeus convocou Apolo, que entre outras coisas era o deus da beleza, da música e da poesia, ou seja, chegado nessas coisas de beber vinho, e o instruiu: “Vá e encontre o mais belo recipiente que existe na Terra para honrar esta divina bebida!”.

Apolo, por sua vez, convocou um protegido seu, Páris, o filho de Príamo, rei de Troia, e prontamente lhe incumbiu da tarefa: “Vá e encontre o mais belo recipiente que exista na Terra para honrar esta divina bebida!”.

Páris, como bom protegido, respondeu um “deixa comigo”, mas pensou que sair procurando por toda parte ia dar muito trabalho. Como conhecia a fama das festas que Baco organizava, os bacanais, e algumas diversões que rolavam por lá, logo concluiu: “O que poderia ser mais lindo que os seios de uma bela mulher?”. E, em matéria de beleza, quem seria mais linda que Helena de Troia.

Assim, tendo toda a nobreza grega como testemunha, foi tomado um molde do seio da belíssima Helena. Em seguida, sob a orientação de Apolo, uma taça de metais preciosos foi confeccionada – o artefato agradou a Zeus. E, com algumas modificações e alterações aqui e ali, chegamos às taças atualmente utilizadas.

Corte francesa

Dando um belo salto no tempo, chegamos ao século 18, quando o champanhe conquistou a corte francesa. Há dúvidas sobre a quem pertenceria o seio que serviu de molde para a taça de haste baixa, aberta e bojuda, moda durante grande parte do século 20.

De um lado da lenda, temos a rainha Maria Antonieta, esposa de Luís 16, e, do outro, a Marquesa de Pompadour, a amante favorita de Luís 15. Em comum, a mesma explicação, o molde do seio esquerdo, por ser junto ao coração, para que a corte pudesse brindar e beber em sua honra. Quem venceu? Uma dica… a taça ficou conhecida como Pompadour.

Reprodução
Depois veio a taça flute (de “flauta”), não gosto de pensar sobre qual parte da anatomia real lhe serviu de molde

A marca de champanhe Dom Pérignon já lançou duas taças comemorativas moldadas em seios famosos. Em 2008, o estilista Karl Lagerfeld moldou o seio esquerdo de Claudia Schiffer para criar uma taça de porcelana. A peça foi vendida juntamente com uma garrafa de Oenothèque 1995, ao preço de US$ 3.150.

Divulgação

Supermodelos

Em 2014, a artista Jane McAdam Freud, em comemoração ao aniversário de 40 anos de idade e também 25 anos de carreira da supermodelo britânica Kate Moss, elaborou uma taça em estilo Art Déco.

Divulgação

Há quem ache que uma taça de espumante é pouco, minha amiga Madame M afirma que seria mais romântico uma peça com dois seios.  Seus problemas acabaram! Foi criado um sutiã de hidratação, o Wine Rack Bra, com capacidade para uma garrafa de vinho (750 ml). Uma ideia legal para ir a eventos, mas nada é perfeito, com o consumo do vinho, a opulência do busto irá se reduzir ao longo da festa.

Reprodução

Mas Madame M também se preocupa com quem deseja beber moderadamente e assim recorda da sugestão do grande rei Salomão, que no Cântico dos Cânticos – 7.2, nos dava novas (velhas?) ideias:

‘Teu umbigo é como uma delicada taça arredondada,
onde jamais falta o vinho das melhores safras e misturas.
Tua cintura é um feixe de trigo adornado de lírios.
Teus seios são como dois filhotes gêmeos de gazela.…”

Agenda de eventos

SOBRE O AUTOR
Sérgio Pires

Iniciou sua trajetória como enófilo na década de 1970. No final dos anos 1980, passou a estudar sistematicamente o tema e a realizar viagens a vinícolas. Após encerrar a carreira bancária, formou-se sommelier profissional pela Associação Brasileira de Sommeliers (ABS-DF/UPIS). Profissionalmente atua como consultor, palestrante, articulista e jurado em eventos de vinho. É diretor da ABS-DF e professor em todos os seus cursos.

Últimas notícias